Robinho exalta peso de o Santos marcar um gol fora diante do Grêmio

Atacante pede coragem ao time para buscar o ataque e trazer importante vantagem de Porto Alegre na Copa do Brasil

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

27 de agosto de 2014 | 13h40

Após mostrar que está recuperado de um estiramento muscular na coxa direita, o que ficou comprovado ao participar normalmente do treino com bola ao lado do restante do elenco na manhã desta quarta-feira, no CT Rei Pelé, Robinho ressaltou a importância de o Santos atuar de forma corajosa diante do Grêmio, nesta quinta, às 20 horas, em Porto Alegre, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Ao ser questionado sobre o peso de o time marcar gols neste duelo, o atacante enfatizou, em entrevista coletiva: "É muito importante. O Santos, apesar de saber que vai enfrentar um grande time, tem que jogar para o ataque. Na Copa do Brasil o gol fora é importante, mas precisa marcar bem, são jogadores perigosos, quando ganhamos a Copa do Brasil fizemos grandes jogos fora de casa".

Em 2010, Robinho se sagrou campeão da Copa do Brasil pelo Santos naquela que foi a sua segunda passagem pelo clube. Na ocasião, foi decisivo para eliminar justamente o Grêmio nas semifinais da competição. Após balançar as redes uma vez no duelo de ida, que terminou com vitória da equipe gaúcha por 4 a 3, no Olímpico, o atacante voltou a marcar no confronto de volta, na Vila Belmiro, no qual o time santista ganhou por 3 a 1 para ir à decisão.

E agora, com o Grêmio novamente pela frente, Robinho mostrou confiança em uma nova boa atuação contra a equipe gaúcha. "Atacante vive de gols, sempre entro para isso, nunca fui goleador, o camisa 9, sempre fui mais driblador, mas se a oportunidade surgir vou colocar para dentro, qualidade para isso nós temos", ressaltou.

Robinho também minimizou a importância do fato de que o Santos acumula um histórico ruim de jogos contra os gremistas, fora de casa, na Copa do Brasil. Além da derrota sofrida em 2010, a equipe paulista também caiu por 2 a 0 diante do rival no jogo de volta das oitavas de final do ano passado, quando viu o adversário reverter a vantagem alvinegra de 1 a 0 obtida no duelo de ida.

"Eles jogando na casa deles vão imprimir o ritmo de jogo, faz tempo que não ganhamos lá, mas tabu foi feito pra ser quebrado. É um time rápido, que marca duro, futebol gaúcho tem chegada, mas não podemos abrir mão de jogar com a bola, nosso time é qualificado", analisou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCRobinhoCopa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.