Robinho joga para conquistar espaço

Robinho já é o mais famoso jogador em atividade no Brasil, mas na seleção ainda busca seu espaço. O craque do Santos só conseguiu uma vaga de titular no time de Carlos Alberto Parreira por causa do corte de Ronaldo e terá de aproveitar a chance, neste domingo, contra o Paraguai, se quiser ser mantido para o confronto com a Argentina, quarta-feira, em Buenos Aires.O treinador acredita que Robinho amadureceu bastante na últimatemporada e, por isso, resolveu escalá-lo. É a primeira vez que Robinhoinicia um jogo oficial entre os 11. Ele havia enfrentado Hong Kong, nagoleada por 7 a 1, em amistoso em Hong Kong, e a Guatemala, na festa dadespedida de Romário. "O Robinho evoluiu, mas ainda tem muito acrescer", analisou Parreira. "Ele pode chegar ainda mais longe."Parreira pediu a Robinho que não saia tanto da área, como fazhabitualmente no Santos. Ele o quer jogando mais próximo de Adriano,para que os meias, Kaká e Ronaldinho Gaúcho, tenham mais opções dejogada no ataque.O atacante, de 21 anos, tem consciência de que a partida contra oParaguai é vital para seu futuro na seleção. E que uma boa atuaçãonesta tarde pode aproximá-lo bastante da Copa do Mundo da Alemanha, noano que vem, um de seus principais objetivos. "Espero passar uma boaimagem para a comissão técnica. Respeito o Adriano, o Ricardo Oliveirae o próprio Ronaldo, mas quero ser titular."De acordo com o jogador, o campo do Beira-Rio, com dimensões grandes, pode favorecer seu jogo, baseado no drible. Por isso, a possibilidadede o torcedor ver pedaladas, sua jogada favorita, é grande. "Vai terpedalada na hora certa, o Parreira me deu liberdade, se eu estiversozinho com o zagueiro, vou para cima."Robinho desfalcará o Santos por praticamente um mês. Depois do duelo com a Argentina, seguirá com a seleção para a Alemanha, onde o timedisputará a Copa das Confederações, a partir do dia 16. A diretoriasantista gostaria que o atacante fosse liberado pelo menos para asegunda partida das quartas-de-final da Libertadores, dia 15, contra oAtlético-PR, na Vila Belmiro, mas Parreira não aceitou o pedido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.