Robinho não esconde a motivação

O atacante Robinho está com vontade de jogar bola, depois do descanso na última rodada do Brasileiro, na partida contra o Palmeiras. Liberado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) da concentração para as eliminatórias da Copa do Mundo e para a Copa das Confederações para jogar a partida de amanhã, contra o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, o jogador foi o primeiro a entrar em campo e pegar uma bola para sair dando piques no Centro de Treinamentos do Coritiba, na tarde de hoje. Correu, animou as brincadeiras e fez várias poses para os fotógrafos. "Estão precisando de modelo?" perguntava. Mas na hora de dar entrevistas ele foi descartado pela assessoria de imprensa do clube. "Nem na Vila Belmiro ele fala", foi a alegação. Somente na chegada do time, na noite de segunda-feira, ele soltou uma frase quando tentava fugir de uma equipe de televisão no saguão do Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. "Vamos respeitar o adversário e nos preparar para jogar bem", esquivou-se. Apesar da distância do CT do Coritiba, que fica no município de Colombo, alguns fãs postaram-se diante do portão para tentar vê-lo. "Ele acaba com o jogo", definiu o estudante Marcos Alexandre. E é isso que o técnico Gallo espera. Por isso o Santos foi insistente na liberação tanto dele quanto do meia Ricardinho. "O importante é que eles estão aqui, pois são dois grandes jogadores", elogiou. O técnico acentuou que em nenhum momento pensou numa formação em que os dois não estivessem. "Eles são importantes e eu sabia que a CBF teria inteligência para ver nosso momento e nossa dificuldade", registrou. Não foi intencional, mas mesmo assim o jogador pode ter dado, durante um "rachão" de dois toques em que se transformou o treino de hoje, a dica para um grito de guerra dos torcedores santistas que não devem chegar a 2 mil na noite desta quarta no estádio atleticano. O time que ele defendia venceu o "rachão" e Robinho puxou o grito: "ão, ão, ão, segunda divisão". Afinal, o Atlético está na última colocação do Brasileiro, sem ter somado nenhum ponto, e já começa a se preocupar. Do lado do Atlético, a preocupação com o jogador é clara e possivelmente o volante Alan Bahia tenha sido orientado para não desgrudar dele. Já o meia Evandro, liberado da seleção sub-20 para a partida, sonha alto. "Tem se falado muito no Robinho. Tomara que quinta-feira o pessoal tenha esquecido e que nós tenhamos conseguido uma grande vitória", espera.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.