Robinho não quer saber de vingança

Robinho não quer misturar Seleção Brasileira com o Santos e nem falar sobre os momentos difíceis que passou no Pré-Olímpico do Chile, mas treinou até escurecer o tipo de jogada que mais gosta de fazer e que pretende usar contra o Guarani, do Paraguai, nesta quarta-feira à noite, na Vila Belmiro. Vingança contra quatro jogadores titulares da seleção pré-olímpica do Paraguai? "Não. Treino mais essa jogada porque ela é a especialidade da casa", explica, rindo da definição que encontrou para o tipo de gol que mais gosta de fazer. "Entro na diagonal e bato com o lado interno do pé, jogando a bola no outro lado. Espero que dê certo amanhã (17) à noite. O Diego diz que a minha especialidade não tem nada de diferente. Que é pizza de mussarela, mas eu não ligo para as palhaçadas dele. Mesmo porque pizza de mussarela é boa." O técnico Leão acompanha a brincadeira dos dois à distância e depois demostra satisfação ao falar do rei das pedaladas. "Agora ele está jogando melhor do que antigamente, quando atravessou o período mais importante da sua carreira. A explicação é simples: Robinho descobriu que um gol é mais importante do que qualquer drible, por mais bonito que ele seja. Tanto que ensaia finalizações durante os treinos sem que ninguém lhe peça." Robinho desmente os boatos de que já teria um pré-contrato assinado com a Internazionale, da Itália, e repete que a sua intenção é permanecer na Vila Belmiro até o final do seu contrato, em 2007. "Não assinei nada e se alguém assinou por mim, foi sem a minha autorização.Estou contente aqui porque recebi todo o apoio dos companheiros e do professor Leão num momento muito difícil e graças a Deus consegui dar a volta por cima." Sobre a rápida recuperação de Robinho, que apenas não participou do jogo contra o Jorge Wilstermann, na Bolívia (alegou que estava com dores musculares), depois que voltou da Seleção, Leão diz que "isso aconteceu graças ao apoio que recebeu da nossa parte." E lamenta que esteja enfrentando maiores dificuldades para conseguir o mesmo com Diego. "Tá difícil levantá-lo porque ele foi mais pisoteado do que o Robinho".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.