Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Robinho projeta o Palmeiras no G-4 para aumentar a confiança

Alviverde pode ficar entre os quatro primeiros na próxima rodada

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2015 | 12h31

Invicto há seis jogos no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras chegou a dormir uma noite no G-4, mas no dia segunte foi ultrapassado. Em grande momento na competição, a meta é conseguir chegar o quanto antes entre os quatro primeiros na tabela. Para atingir o objetivo, a ordem é vencer o Vasco neste domingo, no Rio de Janeiro, e torcer contra concorrentes diretos.

Para entrar e ficar no G-4, o Palmeiras precisa vencer e torcer para que o Fluminense não vença a Chapecoense ou que Sport e Grêmio empatem. “Se vencermos, a gente já entra no G-4. Importante, porque não entramos ainda lá. Estamos confiantes, mas para ter mais confiança, precisamos entrar no G-4 e temos grandes chances de nos manter por ali”, disse o meia Robinho.

O elenco alviverde ganhou dois dias de folga após a vitória por 1 a 0 sobre o Santos, domingo, no Allianz Parque. Os jogadores se reapresentaram na manhã desta quarta-feira e fizeram apenas um trabalho físico na academia. A tendência é que as atividades com bola comecem apenas no treinamento que será realizado à tarde, sem a presença da imprensa.

“O Marcelo (Oliveira) sempre que pode dá este descanso. Trabalhei com ele no Coritiba e lá ele fazia isso também. Importante estes dois dias de folga, podemos ficar com os filhos e sair com a esposa. O time está desgastado, mas temos um grande elenco, montado para aguentar estes desgastes. O Marcelo sabe dosar bem, eu fiquei duas semanas recuperando de lesão e estou bem descansado”, explicou o meia.

Em relação a equipe, o técnico Marcelo Oliveira já tem uma alteração certa, em relação ao time vitorioso no clássico. Sem Leandro Almeida, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Jackson será o substituto. Na frente, o clube aguarda até sexta-feira pelo novo efeito suspensivo para Dudu, pois assim, ele continuará na equipe. Caso a liberação não aconteça, Gabriel Jesus ou Kelvin podem ficar com a vaga. Já no ataque, Leandro Pereira deve ser mantido, mas Lucas Barrios pode aparecer.

“Está cada dia mais difícil de jogar. Mudamos o nosso jeito de jogar. Antes, ficávamos mais com a bola no pé, mas nos últimos jogos, os adversários têm ficado mais com a bola”, explicou Robinho.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebolBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.