Robinho quer retratação de Pelé por comentário sobre drogas

O atacante Robinho pediu que Pelé faça uma retratação formal por ter insinuado na semana passada que o jogador do Manchester City e da seleção brasileira teria se envolvido com drogas, e ameaçou levar o caso à Justiça.

REUTERS

24 de março de 2009 | 16h22

Em evento do setor de turismo em São Paulo na última quarta-feira, Pelé afirmou ao público que o número de jogadores de futebol envolvidos com drogas era pequeno, e acrescentou que Robinho e o atacante Ronaldo, do Corinthians, representavam alguns dos poucos casos do tipo.

"Se você vir o número de jogadores que temos em todo o mundo, é injusto falar de droga no futebol. É um ou dois casos", disse Pelé, em declarações reproduzidas pela rádio paulista Jovem Pan em seu site na Internet.

"O que aconteceu infelizmente com o Ronaldo, o Robinho, que teve esse problema, são um ou dois casos", acrescentou Pelé.

Robinho, de 25 anos e revelado pelo Santos assim como Pelé, respondeu por meio de uma nota em seu site oficial, publicada nesta terça-feira, afirmando estar "decepcionado com Pelé, que fora de campo não lembra o grande ídolo que foi".

"De acordo com representantes de Robinho, 'uma retratação formal do Pelé será pedida, caso ele tenha sido mal-interpretado na entrevista. E que caso ele não se manifeste, terá que responder na Justiça pelo comentário infeliz e infundado'", acrescentou a nota.

No início deste ano, Robinho foi acusado por uma jovem inglesa de 18 anos de estupro numa casa noturna de Leeds, no norte da Inglaterra, e teve que prestar depoimento à polícia.

O jogador, que se tornou a contratação mais cara da história do futebol britânico ao trocar o Real Madrid pelo City por 45 milhões de dólares no ano passado, negou as acusações.

Ronaldo, de 32 anos, envolveu-se num incidente com três travestis no Rio de Janeiro no ano passado, enquanto se recuperava de uma cirurgia no joelho. De acordo com a polícia, um dos travestis acusou Ronaldo de pedir que ele comprasse drogas, o que foi negado pelo jogador.

Durante o evento da última semana, Pelé também citou Diego Maradona, que teve sua carreira manchada pelo uso de drogas tanto nos clubes como na seleção argentina, com a qual sagrou-se campeão do mundo como capitão em 1986.

"O Maradona se meteu em drogas, é uma coisa séria, é um exemplo negativo. É um excelente jogador de futebol, jogava muito bem, e infelizmente aconteceu o que aconteceu com ele", afirmou o tricampeão do mundo sobre o atual treinador da seleção argentina.

Segundo Pelé, o meia do Milan e da seleção Kaká, e os ex-jogadores Franz Beckenbauer, da Alemanha, e Michel Platini, da França, "são jogadores que deram bom exemplo".

Beckenbauer, além de dirigente do Bayern de Munique, foi o principal responsável pela organização da Copa do Mundo de 2006 na Alemanha, enquanto Platini é o atual presidente da Uefa.

(Reportagem de Pedro Fonseca)

Mais conteúdo sobre:
FUTROBINHOPELERONALDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.