Robinho: vaga como presente de aniversário

Robinho completa 20 anos neste domingo e quer festejar em dose dupla. "Não vai ter presente melhor do que conseguir a classificação para a Olimpíada. A rapaziada vai esperar o jogo acabar para tirar uma onda de mim e vamos fazer o possível para a festa ser completa. Estamos muito perto de conseguir o nosso objetivo", disse o atacante da seleção. A proximidade da vaga olímpica devolveu a Robinho o bom humor e o sorriso fácil que andavam meio sumidos. Numa entrevista para a repórter japonesa Kimi Nakamura, que acompanha a seleção brasileira pelo mundo todo desde 1998, ele demorou para conseguir falar. Sempre que a jornalista fazia a pergunta, ele caía na gargalhada por causa do sotaque dela. "Foi mal, foi mal. Vamos de novo que agora eu juro que não vou rir", dizia. Mas era ela começar a falar e lá vinha a risada do atacante.Robinho disse que está ficando "velho" e que preferia estar fazendo 17 anos. Diego não perdoou e fez uma graça com o parceiro. "O Robinho fica velho, mas não tem jeito de ficar forte", brincou.O volante Paulo Almeida, outro santista do elenco, acredita que Robinho é quem vai dar presente para o time. "Ele gosta de jogo decisivo. Acho que tem umas pedaladas guardadas para amanhã e que ele vai nos ajudar muito com sua habilidade." Na sexta-feira, contra o Chile, ele completou quatro partidas sem balançar a rede - o último gol que marcou foi no empate por 1 a 1 com o Uruguai, na terceira rodada do Pré-Olímpico -, mas ficou satisfeito com a contribuição que deu na vitória sobre os chilenos. "Acho que melhorei bastante no segundo tempo. Ajudei na marcação, corri muito e participei do lance do gol do Diego. Espero estar iluminado amanhã e fazer uma grande partida para ajudar o Brasil a conquistar a vaga. E se Deus quiser vou fazer gol."Ser campeão olímpico é o grande objetivo de Robinho nesta temporada. Depois, ele quer arrumar um lugar no grupo da seleção principal. "Meu sonho é jogar uma Copa do Mundo", avisou. Mesmo com o "jejum" de gols, o camisa 11 ainda é um dos artilheiros da seleção no Pré-Olímpico com três, ao lado de Diego e Marcel. O Brasil tem o melhor ataque da competição, com 15 gols - a Argentina marcou 14.O atacante santista já colocou o jogo contra os chilenos na galeria das "partidas inesquecíveis" de sua carreira. Menos pelo que jogou e mais pela dedicação que o time mostrou para reverter uma situação que estava muito adversa no intervalo. "Teve um jogo contra o São Paulo no Morumbi, no Brasileiro de 2002, em que o Santos ganhou de virada e foi muito emocionante. Foi outro jogo marcante da minha vida, como a final contra o Corinthians", contou.O discurso de Robinho sobre a vantagem do empate é igual ao dos outros jogadores, o que mostra que a conversa com Ricardo Gomes logo depois da vitória sobre o Chile foi bem assimilada. "É bom ter a vantagem, mas a seleção brasileira joga sempre para ganhar, em qualquer situação. Ninguém vai entrar em campo pensando em segurar o jogo. Pelo contrário, nossa intenção é aproveitar as chances para matar logo a partida e ficarmos tranqüilos." Apesar de ter se desgastado muito no segundo tempo - várias vezes estava dentro da área brasileira, marcando os chilenos -, ele não teme sentir cansaço neste domingo. "É a hora de todo mundo dar algo a mais e comigo não vai ser diferente.Vou estar pronto para lutar até o último minuto."

Agencia Estado,

24 de janeiro de 2004 | 12h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.