Robinho volta ao ataque do Santos

Robinho está de volta ao ataque do Santos. Depois de muita polêmica sobre a possibilidade de ir para a reserva por causa da má fase, encerrada com uma complicação intestinal, antes do jogo contra o Grêmio, ontem ele participou normalmente do coletivo e está escalado para o jogo de quarta-feira contra o Atlético Mineiro. "Ele fez um ótimo coletivo, parecia que estava jogando na final do campeonato do ano passado", disse o técnico Leão. Com a suspensão de Fabiano, pelo terceiro cartão amarelo, Robinho vai formar a dupla de ataque com Nenê, jogador que pode estar deixando a Vila Belmiro com destino ao espanhol Mallorca. Robinho não fugiu hoje de responder perguntas sobre sua má fase, que ele mesmo admite. "Quando a má fase vem, não tem um porquê", disse ele, comentado que "isso faz parte de nossa vida; não quero jogar mal e entro em campo para ter uma boa atuação, mas às vezes isso não acontece." Ele tem certeza de que irá superar esse momento e sabe que tem o apoio do técnico Leão e dos companheiros de equipe para isso. "O segredo é trabalhar bastante, treinar muito e me dedicar para quando entrar em campo, jogar bem". O jogador não está gostando dos comentários sobre sua queda de rendimento, de que ela estaria ocorrendo por estar levando uma vida noturna mais intensa. "Quando o jogador está bem, ninguém fala nada; quando não está, aí inventam essas mentiras de que ele está saindo, está bebendo, e não dorme cedo." Mas aceita críticas. "Jogo num time grande, atual campeão brasileiro e a cobrança é normal", disse ele, acrescentando que "é preciso aprender com essa pressão, pois ajuda no nosso amadurecimento". Depois do coletivo de hoje, Leão estava satisfeito com o desempenho de Robinho. "Se a torcida tivesse assistido ao treino teria visto Robinho jogando como na final do Brasileiro do ano passado", disse. O técnico acompanha de perto a má fase do atacante e disse que "compete ao treinador apoiar o atleta para recuperá-lo em sua essencia principal, que é a capacidade máxima". E Leão está tranquilo: "Robinho é um menino que é fácil de entender e que se esforça para se recuperar." Nenê - Nenê não gosta de falar sobre sua transferência para o Mallorca, que está sendo negociada pelo Paulista, time que detém o seu vínculo federativo. "Interesse existe, mas não falo sobre isso", comentou, dizendo que prefere cumprir seu contrato até o final do ano com o Santos. O vice-presidente Norberto Moreira da Silva revelou que não há uma proposta oficial pelo atleta, que deverá cumprir seu contrato até o fim do ano com o Santos. Caso haja rescisão, o clube tem que ser indenizado, entende o dirigente. Nenê é de opinião diferente. "O Santos tem a prioridade. Tem um prazo para cobrir alguma proposta, caso não cubra, posso sair".

Agencia Estado,

04 de agosto de 2003 | 19h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.