Róbson joga e Basílio volta para o banco

O Santos já fez as contas e, vencendo o equatoriano Barcelona quinta-feira na Vila Belmiro, estará classificado para a próxima fase da Libertadores da América. "Por isso o time joga sempre pela vitória", disse o técnico Leão, que começa amanhã a armar o time. Vai poder contar com a força máxima e Róbson deverá ser o centroavante, com a volta de Basílio para o banco. Os jogadores estão divididos sobre o comportamento tático que o adversário irá adotar para essa partida na Vila Belmiro. Uma nova derrota complica a situação dos equatorianos e, por isso, Leão entende que eles irão jogar para vencer. "É só isso que interessa a eles", comentou. Elano concorda e acha que o Barcelona vai jogar aberto, pois o empate não serve para sua classificação. "Nessa circunstância, fica mais fácil para nós", disse o meia. Mas ele não espera uma partida fácil. "Na Libertadores, os times se superam e sempre é difícil". Robgol porém acha que o adversário não vai se abrir logo. "Eles sabem que vão jogar contra o Santos e serão cautelosos para evitar a derrota". Para ele, seu time precisa definir logo o jogo, para evitar o que aconteceu na partida contra o paraguaio Guarany, em que começou ganhando, permitiu a virada e acabou empatando no último minuto. "Se conseguirmos definir o jogo no primeiro tempo, será muito bom para evitar o sufoco e garantir logo a classificação para a próxima fase". Leão começou sua entrevista às 19h20 por conta de uma reunião em que foram tratados problemas de premiação dos jogadores, que já se classificaram para a próxima fase do Paulista e estão próximos de atingir esse objetivo na Libertadores. "As coisas estão se afunilando e por isso precisávamos conversar", disse. E ele também conversou bastante com os jogadores sobre o jogo de quinta e continuará o assunto amanhã. Na entrevista, voltou a dizer que o centroavante Luisão não interessa ao Santos e acha que Reinaldo pode até disputar a segunda fase da Libertadores pelo time da Vila Belmiro. Mas para isso terá de haver um empréstimo por parte do Paris Saint German, nas mesmas bases que o de Paulo César. "Só assim será possível", disse o treinador. O lateral foi emprestado e os dois clubes dividem o salário, o que possibilitou a transferência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.