Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Robson Oliveira, ex-motorista do jogador Fernando, é libertado na Rússia

Após mais de dois anos detido, ex-funcionário de jogador do Beijing Guoan está liberado para retornar ao Brasil

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2021 | 14h13

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, neste domingo, que Robson Nascimento de Oliveira, ex-motorista do jogador Fernando, foi libertado pelo governo russo e pode retornar ao Brasil. Ele ficou preso por mais de dois anos, após tentar ingressar no país com caixas de Mytedon (cloridrato de metadona), medicamento legalizado em território brasileiro, mas proibido na Rússia. Os remédios seriam para o sogro do jogador, William Pereira de Faria.

Pavel Gerasimov, advogado que cuida da defesa de Robson, confirmou sua liberação. De acordo com Bolsonaro, Robson deve chegar ao Brasil na próxima quinta-feira. Para conseguir a libertação, o pedido de perdão teve de contar com a diplomacia entre os dois países e passar por aprovação de uma comissão regional, do prefeito de Moscou e, por fim, do presidente russo, Vladimir Putin.

Funcionário de Fernando, Robson foi detido em março de 2019. Ele embarcou, junto com a esposa Simone, para Rússia para seguir prestando seus serviços para o jogador, que à época atuava no Spartak Moscou. Com eles havia uma mala, cujo conteúdo era desconhecido por Robson. A justiça local o condenou à pena mínima de três anos de prisão por contrabando e tentativa de tráfico de drogas. Assim, o pedido de perdão passou a ser mais viável.  A defesa de Robson previa pedir, anteriormente, que a prisão pudesse ser cumprida no Brasil. Algo que é possível devido à relação entre os dois países. 

Pouco tempo após a prisão do funcionário, os sogros de Fernando deixaram a Rússia. O meia, por sua vez, negociou sua transferência para o futebol chinês no meio de 2019. Atualmente, o jogador atua pelo Beijing Guoan. Com 29 anos, o gaúcho iniciou sua carreira no Grêmio, passou pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, e Sampdoria, da Itália, antes de chegar ao Spartk Moscou. Serviu a seleção brasileira em algumas oportunidades sob o comando de Mano Menezes e Luiz Felipe Scolari, com quem foi campeão da Copa das Confederações de 2013.

A pricípio, a família de Fernando não amparou o ex-funcionário em sua defesa junto à justiça russa. Posteriormente, ficou acordado que o ex-patrão ficaria responsável pelo pagamento dos honorários advocatícios. Diante das últimas decisões, havia a expectativa para que brevemente Robson fosse libertado. O caso ganhou repercussão no meio esportivo, com o pedido de outros atletas, como Richarlison e Felipe Melo, para que a situação fosse resolvida. Desde então, houve mobilização da diplomacia brasileira e, finalmente, Robson poderá retornar ao Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.