Rochemback é a novidade na seleção

Os 15 minutos que Fábio Rochemback jogou na vitória por 4 a 0 contra a Venezuela, quarta-feira, na estréia do Brasil no Torneio Pré-Olímpico, foram um prêmio ao jogador, por seu esforço para disputar a primeira partida da competição, e um sinal do técnico Ricardo Gomes: nesta sexta, no jogo contra o Paraguai, às 23h10 (horário de Brasília), ele deverá começar jogando no lugar de Daniel Carvalho. Afinal, só não foi titular na estréia porque teve de atuar pelo Sporting no domingo. O ex-jogador do Inter é mais um brasileiro que não gosta nem de lembrar do tempo em que trabalhou no Barcelona sob as ordens do técnico holandês Louis van Gaal, aquele que não gostava de Rivaldo e vetou a volta de Ronaldo quando o Fenômeno estava deixando a Inter de Milão, deixando-o ir para o rival Real Madrid. O volante da seleção Sub-23 considera um tempo perdido os seis meses em que conviveu com o treinador na temporada 2002/2003. "Ele me pedia para jogar aberto pela direita, como se eu fosse um ponta. Assim era complicado render um bom futebol." Com a transferência para o Sporting, onde joga pelo meio e pode ajudar o ataque com seus chutes de fora da área, os tempos difíceis ficaram para trás e Rochemback desandou até a fazer gols - tem seis no Campeonato Português. Ele está tão feliz em Lisboa que acaba de comprar uma casa na cidade, confiando que continuará no clube na próxima temporada. O Barça o emprestou por três anos, mas ao final de cada temporada tem a opção de requisitar sua volta se quiser.Rochemback chegou ao Chile, para a disputa do Pré-Olímpico, disposto a recuperar o quanto antes o espaço que perdeu por ter tido de interromper o trabalho com a seleção para voltar a Portugal e defender o Sporting contra o Benfica. Treinou forte duas horas depois de ter chegado de viagem e no jogo contra a Venezuela, na quarta-feira à noite, exibiu o vigor físico que o técnico Ricardo Gomes tanto aprecia. "Fui titular no começo dos treinos em Teresópolis e cheguei para buscar a posição de novo. Como jogo na Europa e estou apenas na metade da temporada, tenho muita energia para queimar", avisou. Energia parece que não falta mesmo para ele. Rochemback jogou domingo em Lisboa, treinou em seu clube segunda de manhã e à noite embarcou para Madri, onde pegou um avião para Santiago. Chegou à capital chilena na manhã de terça-feira e depois do almoço, voou para Concepción. "Jogar nesta seleção é muito importante para mim", justificou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.