Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Rodolfo diz que Fluminense precisa 'se impor' no duelo decisivo contra o Flamengo

Goleiro diz que time tricolor não pode esperar o rival no campo de defesa

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2019 | 18h06

Rodolfo prevê mais um Flamengo x Fluminense bastante disputado, neste sábado, às 19 horas, no Maracanã, pela semifinal do Campeonato Carioca. E por isso o goleiro exige que o time tricolor tenha atitude neste clássico decisivo que definirá a primeira vaga na decisão do Estadual - a outra será conhecida na partida entre Vasco e Bangu, no domingo, às 16 horas, no mesmo estádio.

"Temos que tentar impor nosso jogo, sair jogando na área, a gente tem que fazer o nosso jogo", ressaltou o jogador em entrevista coletiva nesta sexta-feira, quando o técnico Fernando Diniz também comandou o último treino de preparação para o clássico.

O atleta prevê mais 90 minutos emocionantes após os três clássicos acirrados que as duas equipes já travaram nesta edição do Estadual. No primeiro deles, em fevereiro, o Flu eliminou o rival com uma vitória por 1 a 0 na semifinal da Taça Guanabara, graças a um gol marcado no fim do confronto. Depois disso, as equipes se reencontraram na última rodada da fase de classificação da Taça Rio e os rubro-negros levaram a melhor, com um triunfo por 3 a 2. E em seguida, na semifinal do segundo turno, os flamenguistas voltaram a ganhar do adversário, desta vez por 2 a 1.

"Esse jogo vai ser no mesmo clima de todos os Fla-Flus que jogamos até agora no ano e pela tensão do último, tende a ser complicado. Tem que se preparar bem como a gente está se preparando", disse Rodolfo.

O goleiro também chamou a atenção dos companheiros para que não percam a concentração até o apito final. "Bate um cansaço no fim do jogo, os times se desgastam muito, bate aquela desatenção. Nosso time tem de estar atento os 95, 96 minutos de jogo, isso tem que acontecer sempre, porque no final dos jogos, se ficar desatento, pode tomar um gol, ainda mais num clássico, não podemos estar desatentos", afirmou o goleiro, que lamentou a ausência do meia Paulo Henrique Ganso, suspenso.

"Na criação, é um excepcional jogador e nos ajuda muito na criação do meio-campo. Vem evoluindo na marcação também, é uma perda grande, mas quem entrar no lugar dele vai dar conta do recado, como os que têm entrado, estão bem e fazendo o que o Diniz está pedindo", disse Rodolfo.

O jogador também destacou que está feliz com a atual fase no Fluminense, com o qual assinou um contrato de três temporadas no final do ano passado. Adquirido em definitivo pelo clube carioca, o atleta antes estava emprestado pelo Oeste, time que hoje faz parte da primeira divisão do futebol paulista.

"O Fluminense me acolheu, é um clube que vem me ajudando e me sinto muito feliz aqui, de estar vestindo essa camisa. Vim para cá para jogar, para conquistar minha posição e graças a Deus, estou tendo ritmo de jogo, conquistei a titularidade. Busco honrar ao máximo a camisa do Fluminense", enfatizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.