Rodrigo admite mágoa com diretoria do São Paulo

O zagueiro Rodrigo admitiu nesta terça-feira que está magoado com a diretoria do São Paulo. Sem poder jogar devido a uma embolia pulmonar, ele se recupera em casa e deve ficar afastado do futebol pelo menos até agosto. O problema é que seu contrato de empréstimo acaba no dia 16 de julho e dirigentes são-paulinos já disseram que ele não continuará no clube - está vinculado ao Dínamo de Kiev, da Ucrânia.

AE, Agencia Estado

26 de maio de 2009 | 15h43

"Foi um pouco precipitado da parte de algumas pessoas. Não quero ficar citando nomes, mas achei uma falta de consideração falarem que seria impossível contar comigo novamente", afirmou Rodrigo, em entrevista à TV Globo. "Não vou ficar onde não me querem", completou o zagueiro, que já planeja a volta ao Dínamo de Kiev para poder retomar sua carreira.

A embolia pulmonar de Rodrigo foi detectada no dia 3 de maio, quando ele sentiu fortes dores no peito e acabou sendo internado num hospital de São Paulo, de onde saiu alguns dias depois. "Ainda não deu para assimilar muito bem. Aos poucos vou colocando a cabeça em ordem", revelou o zagueiro de 28 anos, que, por recomendações médicas, está afastado do futebol.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão PauloRodrigo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.