Louafi Larbi|Reuters
Louafi Larbi|Reuters

Rodrigo Caetano faz mistério sobre Conca e diz que Flamengo usará 40% da base

Objetivo é contratar 'ao menos dois atacantes e mais um meia'

Estadão Conteúdo

19 de dezembro de 2016 | 19h34

O Flamengo está em busca de ao menos mais três reforços para a próxima temporada. Sem citar nomes, o diretor de futebol do clube, Rodrigo Caetano, informou nesta segunda-feira que o objetivo é trazer "ao menos dois atacantes e mais um meio-campista". "É difícil falar em nome. O único nome que confirmamos é o Trauco, lateral-esquerdo da seleção peruano por necessidade. Temos só o Jorge que é o titular da posição e ele é um jogador que vem sendo bastante sondado", afirmou em entrevista ao SporTV.

O dirigente não quis confirmar se o time está tentando a contratação do meia Conca, atualmente no Shanghai SIPG, da China. "A gente pretende ter um jogador de uma qualidade superior assim como ele, mas não posso falar nada além disso. Nós temos por obrigação prospectar por novas soluções", despistou.

Na posição, atualmente, o Flamengo conta com Diego, Mancuello e o jovem Lucas Paquetá, de 19 anos. Os jogadores revelados na base devem também ganhar atenção especial em 2017. A meta estipulada pela diretoria é que 40% do elenco profissional seja de atletas vindos das categorias de base. "Esse é o objetivo. Precisamos dar mais espaço para esses jovens. O Flamengo tem uma divisão de base elogiável. Não tem sentido, com a dificuldade financeira que os clubes brasileiros atravessam, não disponibilizar espaço", informou.

Apesar de estar de olho em contratações pontuais, Rodrigo Caetano informou também que a diretoria está de olho no mercado, já que os principais reforços nos últimos dois anos vieram de maneira inesperada. "O Diego só foi possível por conta de uma oportunidade, pela saída dele do Fenerbahce. A mesma coisa aconteceu quando o Guerrero saiu do Corinthians, em 2015. Por isso estamos de olho nessas oportunidades também", revelou.

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengoConcaChinaFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.