Rodrygo 'sugere' rebatizar Pacaembu com seu nome e celebra momento no Santos

Rodrygo 'sugere' rebatizar Pacaembu com seu nome e celebra momento no Santos

Atacante diz, entretanto, que ainda sonha em marcar gol na Vila Belmiro

Estadão Conteúdo

18 de abril de 2018 | 13h58

Pela primeira vez na curta carreira como profissional, Rodrygo concedeu entrevista coletiva no CT Rei Pelé nesta quarta-feira. Mas a nova joia da base do Santos não se intimidou, pelo contrário, mostrou desenvoltura para responder as perguntas e se sentiu tão à vontade que até "sugeriu" rebatizar o Estádio do Pacaembu com seu nome.

+ Grupo de conselheiros protocola pedido de impeachment de presidente do Santos

+ Contratado para o Santos B em 2017, Diego Pituca é o 33º atleta usado por Jair

+ Santos afasta coordenador da base após denúncia de abuso sexual

"Estava brincando com meus amigos estes dias que já podia mudar o nome do Pacaembu, podia se chamar 'Rodrygo'. A maioria dos meus gols tem sido lá, gosto de jogar lá, tenho carinho especial. E, graças a Deus, tem dado tudo certo", declarou, arrancando risos dos jornalistas.

A brincadeira tem um motivo. Rodrygo tem cinco gols como profissional, quatro marcados no Pacaembu, onde atuou apenas seis vezes. A grande fase no estádio, porém, não o faz esquecer da Vila Belmiro. E o atacante ainda busca seu primeiro gol pelo time principal na casa santista, onde praticamente não atuou na base.

"É um sonho que eu tenho, de fazer gol na Vila Belmiro. Por incrível que pareça, é um estádio em que eu pouco atuei na base. As pessoas não acreditam, mas fiz apenas um jogo lá, e marquei um gol, contra o Flamengo. Então, tenho o sonho de marcar lá e espero que aconteça diante do Estudiantes", comentou, já projetando o duelo de terça-feira que vem pela Libertadores.

Apesar do desejo de "marcar o maior número de gols possível" na temporada, Rodrygo está mais afastado da área. No esquema implementado por Jair Ventura nas últimas rodadas, o atacante tem atuado como meia, posição na qual garantiu também se sentir à vontade.

"É uma função que eu sei fazer bem, fazia bastante na base. No profissional, já atuei por ali algumas vezes também. Então, se o professor Jair optar por me colocar lá, vou fazer o melhor para corresponder", apontou.

Rodrygo deve ser mantido como meia no duelo contra o Bahia, sábado, em Salvador, pela segunda rodada do Brasileirão, e se mostrou otimista para a partida. "Todas as vezes que tivemos uma semana cheia pra trabalhar, acabamos vencendo. O professor Jair tem passado tudo sobre o Bahia e acredito que vai dar tudo certo."

O elenco santista treinou pela manhã nesta quarta-feira, no CT Rei Pelé, mais uma vez com os portões fechados à imprensa. Jair Ventura deverá usar os próximos dias para definir a equipe para o confronto.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos Futebol ClubeRodrygo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.