Roger: ´Agora posso fazer o que todos esperam de mim´

No dia 27 de fevereiro, Roger irá completar dois anos de Corinthians. Estreou na derrota para o São Paulo por 1 a 0, no Campeonato Paulista. No final do mesmo ano, 2005, comemoraria a conquista do Campeonato Brasileiro. Nesse período, sua vida no clube tem sido marcada pelas reviravoltas. Por isso, o elitizado meia quer que 2007 seja o ano da sua afirmação. ?Já aprendi que no Corinthians tudo é exagerado. Num dia você é o melhor do mundo e no outro, o pior. A torcida é apaixonada. Entendo e respeito. Mas agora me sinto em condições de fazer o que todos esperam de mim?, disse o jogador após sua brilhante atuação na vitória por 3 a 1 contra a Ponte Preta, na quarta-feira à noite, no Pacaembu. Segundo ele, ao contrário do que aconteceu agora, em Jarinu, nos últimos quatro anos não teve tempo de fazer pré-temporada, o que prejudicou muito seu rendimento. Seu pior período jogando foi quando ficou na reserva, durante a passagem do técnico argentino Daniel Passarella, em 2005. E quando ele foi demitido, Roger foi apontado por muitos como uma das pessoas interessadas na queda do técnico. Em uma partida contra o São Caetano foi substituído por Passarella. Irritado, chutou uma cadeira, arrumou suas coisas e foi embora antes da partida acabar, com o celular desligado. Foi sorteado para o exame antidoping. Depois que a diretoria o achou acabou multado. ?Não foi um período bom. Mas nunca tive nada contra o Daniel. Era uma questão de adaptação ao seu esquema tático?, alegou na época Roger depois da saída do treinador. Coincidência ou não, Roger passou a jogar muito melhor sem Passarella. E tudo estava indo bem quando, em outubro de 2005, contra o Vasco, o jogador fraturou tornozelo e ligamentos da perna direita. Levou três meses para se recuperar e não participou da fase decisiva que garantiu a conquista do Campeonato Brasileiro. Com medo de que Roger não voltasse a jogar bem, o dirigente da MSI Kia Joorabchian contratou Ricardinho. ?Não falei nada na época, mas senti que o clube estava desconfiado da minha recuperação. Ter contratado um jogador para a mesma posição, de características iguais às minhas me deixou claro que eu poderia sair?, relembrou Roger. A MSI teve uma proposta para vender Roger do La Coruña, logo após a derrota na Libertadores. Não saiu porque não houve acordo financeiro. Depois de ficar sete meses sem marcar, Roger terminou bem o último Campeonato Brasileiro. E começou melhor ainda o Paulista. ?Estou focado totalmente para dar meu melhor para o Corinthians. Sinto que esse ano muitas coisas boas vão acontecer para mim e para o clube. O time está unido, forte e apostando no trabalho do Leão. A torcida pode ficar animada mesmo. Eu estou.? Seu contrato é do Corinthians. Na parte jurídica é como se tivesse sido trocado pelo zagueiro Anderson. Os aproximadamente R$ 9 milhões de diferença que a MSI pagou já estão esquecidos na contabilidade do clube. ?Eu sou inteiro do Corinthians. Só saio daqui se a diretoria e eu quisermos. Mas acho que vou ficar um bom tempo ainda por aqui.? O seu contrato atual tem duração de cinco anos, e termina em 2010.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.