Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Roger cobra Palmeiras equilibrado e promete atacar o Corinthians

Técnico promete que time não vai confiar apenas em vantagem na decisão do Campeonato Paulista, no próximo domingo

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

06 de abril de 2018 | 15h29

O técnico Roger Machado, do Palmeiras, voltou a frisar nesta sexta-feira a importância do time ter equilíbrio na final do Campeonato Paulista, domingo, contra o Corinthians. Em entrevista coletiva, o treinador afirmou que é preciso confiar na vantagem construída no jogo de ida, com a vitória por 1 a 0, sem se acomodar com o resultado e descartou mandar o time a campo apenas com o intuito de administrar o resultado.

+ Torcida forma fila para trocar ingressos

+ 'Não consigo dormir', diz Felipe Melo sobre decisão

"Acredito que não deve se sentar em cima da vantagem, porque vamos enfrentar um adversário que já provou em outros momentos que pode reverter adversidades. Ter a vantagem não vai mudar a nossa característica de jogo. Administrar o jogo, só quem sabe quando o árbitro levantar a placar de acréscimo no final", afirmou o treinador. O Palmeiras sairá campeão do Allianz Parque mesmo se empatar.

O último título alviverde da competição foi em 2008, ano em que Roger ainda era jogador e atuava no Fluminense. Nem por isso, porém, ele quer que o time se pressione para acabar com o jejum. "Temos o dever e a obrigação de ver que temos a vantagem. Não temos que considerar o deulo resolvido, nem ignorar a vantagem. Vencer por 1 a 0 fora de casa em uma final é significativo", avaliou.

Roger conquistou no ano passado o Campeonato Mineiro com o Atlético-MG e com a experiência de ter trabalhado por anos no Grêmio, analisou que a final entre Palmeiras e Corinthians faz a decisão ser uma das mais importantes da sua carreira. "A rivalidade tem aumentado, esse dérbi fazia muito tempo que não se disputava em uma final de torneio e o otimismo do torcedor cresceu. O peso desse jogo aumentou. A nossa responsabilidade, também", afirmou.

O treinador não quis confirmar o time titular e diz que vai depender da situação física dos atletas para definir a formação titular. Se o jogo com o Alianza Lima, na terça-feira, pela Libertadores, gerou desgaste, Roger prefere considerar que ajudou. "Jogamos bem, isso dá confiança. A partida preveniu de certa forma de focar durante uma semana as atenções em um evento", explicou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.