Roger: de vilão a herói na Ponte

Desde suas primeiras partidas na Ponte Preta, o atacante Roger sempre foi o alvo preferido dos torcedores sedentos por descontar a ira pelas derrotas e más campanhas. Depois dos dois gols contra o São Paulo, que deram a vitória ao time campineiro dentro do Morumbi e afastaram um pouco a ameaça de rebaixamento, o atacante gozou pela primeira vez uma semana de herói na cidade.Elogiado pelos torcedores na rua, ele tratou de dividir as glórias com seus companheiros e espera terminar o ano de uma maneira bem melhor do que iniciou. "Coloquei na minha cabeça que este seria o meu ano e por enquanto tem sido bom, apesar da torcida gostar de pegar no pé", explicou.Apesar da responsabilidade grande de ser fazedor de gols do time, Roger, de apenas 18 anos, tem seguido uma trajetória muito parecida com a de Luís Fabiano, ex-São Paulo e agora no Porto, de Portugal. Execrado pela torcida muito jovem, ele teve que deixar o clube campineiro para se tornar um dos melhores atacantes do país. Roger, no entanto, espera um futuro diferente: "Quero me tornar um goleador ainda aqui na Ponte", finalizou.O time campineiro necessitará dos gols do atacante na partida do próximo domingo, às 16 horas, contra o Santo André, para conquistar pelo menos um ponto e não depender mais de ninguém para evitar o rebaixamento. Depois de sábado, Roger chegou a nove gols e se tornou artilheiro isolado do time, que está na 13ª colocação, com 22 pontos. Os jogadores voltaram os treinos nesta segunda-feira à tarde e o técnico Vadão não tem nenhum desfalque para a despedida no Paulistão.

Agencia Estado,

11 de abril de 2005 | 18h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.