Roger destaca consistência ofensiva gremista e cobra torcida assídua após recorde

Treinador quer torcedores lotando a Arena em todos os jogos da equipe

Estadão Conteúdo

14 Agosto 2016 | 16h20

O técnico Roger Machado elogiou especialmente o setor ofensivo na vitória do Grêmio por 3 a 0 sobre o Corinthians neste domingo, em Porto Alegre, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. E, apesar de a Arena Grêmio ter batido recorde de público (foram 50.184 torcedores ao total), o treinador cobrou a presença dos torcedores também contra adversários de "menor peso".

"Foi um jogo bastante consistente da nossa parte. Roubamos quatro, cinco bolas no campo ofensivo. Atacamos em profundidade nas costas dos laterais e zagueiros, aproveitando o fato de o Corinthians marcar mais alto", comentou.

O treinador destacou o retornou do atacante Everton, que retornou à equipe titular antecipadamente por conta da lesão de Negueba. Também elogiou a atuação de Pedro Rocha, que já se recuperou de contusão há algumas rodadas, mas ficou pouco mais de 40 dias no departamento médico.

"O Everton foi muito bem, deu uma contribuição importante. O Pedro foi gratificante, porque tinha tirado ele nos outros dois jogos. Seria muito simples colocar outro no lugar, mas hoje deu uma resposta. Marcou gol, deu assistência, ajudou na recuperação defensiva. Meus quatro jogadores da frente funcionaram muito bem", elogiou.

O Grêmio venceu com gols de Everton, Pedro Rocha e Miller Bolaños. Mas, para os três atacantes marcarem, Roger acredita que o diferencial para alcançar a vitória foram os dez dias que teve para trabalhar e corrigir os erros.

"Nossa pressão no campo de ataque havia diminuído nos últimos jogos e a gente vinha roubando pouca bola na frente. Esse ajuste permitiu isso. O treino é uma eterna busca pelo equilíbrio", analisou.

COBRANÇA - Roger aproveitou que os torcedores bateram o recorde de público na Arena neste domingo para cobrar a presença nas arquibancadas durante toda a competição. "A gente espera manter o mesmo nível. O torcedor diz que não pode escolher time para jogar, mas do lado de lá o torcedor também não pode escolher jogo para vir torcer. Hoje foi bonito. 50 mil. Recorde. A gente espera que venham também contra times de menor peso", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.