Roger diz que tudo é possível no jogo do Palmeiras

A forma desdenhosa como o técnico Felipão tratou o confronto com o Fluminense, domingo, não foi bem recebida no Cruzeiro. O meia Roger voltou a flertar com a polêmica ao afirmar nesta terça-feira que considera que "tudo é possível" na partida entre o líder da competição e o Palmeiras, que tem priorizado a Copa Sul-Americana e deve mais uma vez mandar a campo um time reserva.

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

23 de novembro de 2010 | 20h57

O Cruzeiro está em terceiro com 63 pontos, um atrás do Corinthians e dois do Fluminense, e precisa de um tropeço dos dois adversários para assumir a liderança. "Você olha os últimos resultados do Palmeiras, as últimas atuações e a gente tem uma conclusão de que o Palmeiras hoje não está mais jogando aquilo que pode jogar no Campeonato Brasileiro. Isso é claro. Eu não falei nenhuma novidade", disse Roger.

"Acho que tudo é possível porque o Palmeiras não tem mais nada o que fazer dentro do Brasileiro, já deu várias declarações de que é uma competição que não os interessa mais", acrescentou o meia, que chegou a ser ameaçado de processo por parte de Andrés Sanchez, por sugerir que haveria um esquema de favorecimento ao Corinthians.

O técnico Cuca preferiu ser cauteloso ao comentar as declarações de Felipão. "Não adianta a gente entrar nesse tema (Palmeiras jogar para ganhar ou não) e dar mais ênfase que ao próprio trabalho nosso da semana aqui", declarou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.