Roger, do Flu, pode reforçar o Fla

O presidente do Flamengo, Edmundo dos Santos Silva, se encontrou em um restaurante na Barra da Tijuca, zona oeste, na noite de segunda-feira, com o meia Roger, do Fluminense. O jogador é um antigo sonho do dirigente, mas o principal empecilho para a sua contratação é o problema salarial. O atleta estaria querendo um salário em torno de R$ 200 mil e o Rubro-Negro está vivendo uma nova realidade e não teria como pagar esse valor. Outro problema para a contratação de Roger é que o Benfica (Portugal), dono do passe do jogador, só aceita vendê-lo por US$ 6 milhões, enquanto o Flamengo quer o atleta por empréstimo. Edmundo não quis dar declarações sobre o assunto e desconversou que o encontro teria acontecido. Mas o diretor de Marketing do Tricolor, José Neto, estava no mesmo restaurante e presenciou o fato, revelando-o nesta terça-feira. No início do ano, os presidentes dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro firmaram um acordo em que se uniam contra a Liga Nacional, dando total apoio à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Um dos termos do acordo dizia que nenhum dirigente investiria em algum jogador de outro time sem a prévia autorização do contratante, fato não ocorrido neste caso, já que a diretoria do Fluminense não foi informada do encontro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.