Roger é mais um a processar a Ponte Preta

A Ponte Preta ainda sente na pele os efeitos da crise financeira que assolou o Majestoso nesta temporada. Nesta terça-feira foi confirmado mais um caso na Justiça Trabalhista, agora do meia-atacante Roger, de apenas 18 anos. Ele reclama por salários atrasados e o recolhimento do FGTS.Não por acaso, quem o defende é a advogada Gislaine Nunes, do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo. Os valores em atraso não foram revelados e a primeira audiência deve acontecer no dia 5 de janeiro.A advogada disse ainda que está recolhendo documentos de outro jogador do clube. Pode até ser o meia Piá, que teria direito a receber parte de luvas ainda do ano passado. Ao longo da temporada, 21 jogadores deixaram o clube por problemas salariais. Piá também avisou que pretende mesmo deixar o clube, mas aguarda propostas. Um dos interessados é o América, de São José do Rio Preto. A indicação partiu do técnico Roberval Davino.A Ponte Preta ainda não definiu o técnico para a próxima temporada. É o único clube da Série A1 Paulista que ainda não contratou seu treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.