Roger estreou, mas pouco pôde fazer

Nem Roger salvou o Corinthians. A estréia do meia foi quase uma atitude de desespero. Tite acreditava que o talento do meia, por si só, fosse capaz de dar um jeito no time corintiano. Mas aí já era esperar demais de um jogador que mal chegou ao Parque São Jorge. E, para piorar a situação, seis minutos depois de Roger entrar em campo, no começo do segundo tempo, o São Paulo fez o seu gol. Em seguida, Leão trocou o meia Danilo por Renan. Aí, com três volantes marcando em cima, faltou espaço para o time todo jogar - e Roger acabou sendo envolvido pela situação.Apesar das dificuldades, o novo meia corintiano até que tentou ajudar. Logo em sua primeira participação na partida, foi derrubado por Lugano. Percebendo que não teria facilidade no jogo, procurou se movimentar bastante. Apareceu algumas vezes pela direita, infiltrou-se pelo meio para receber a bola mas também acabou sendo vítima das deficiência do conjunto.O próprio Roger, aliás, deixou claro para as emissoras de rádio, pouco antes de entrar em campo, que as circunstâncias não lhe favoreciam: "São as circunstâncias me fazem entrar. Estou cansado da viagem e só participei de dois treinamentos no Corinthians. Mas o apoio da família me ajuda bastante nessas horas".De sua parte, Tite justificou a entrada de Roger com lentidão de Rosinei. "O São Paulo é um time muito rápido. E o Rosinei, que não treinou a semana toda, não estava conseguindo acompanhar o ritmo do jogo".Apesar da derrota logo no primeiro jogo, Roger é a maior aposta de Tite para melhorar a qualidade ofensiva do Corinthians. O meia não é exatamente o armador que o treinador tanto queria, mas pode se adaptar à essa função. Deixou isso bem claro no clássico, neste domingo. Mostrou personalidade, bom passe e boa visão de jogo. No entanto, como diz o próprio meia, vai precisar de tempo para se encaixar na equipe. "Não é de uma hora para outra que a gente vai se entrosar. O nosso time tem qualidade mas tem de treinar, aprimorar o aspecto tático. E isso só vem com o tempo".Roger também foi sincero na hora de falar sobre as chances do Corinthians no Campeonato Paulista. "Não vou dizer que já jogamos a toalha porque ainda faltam muitas rodadas. Mas é preciso reconhecer que o time largou atrás, perdendo os dois primeiros jogos. Talvez fosse mesmo melhor usar o Campeonato Paulista para acertar a equipe, visando a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro".

Agencia Estado,

27 de fevereiro de 2005 | 19h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.