Lucas Uebel| Grêmio| Divulgação
Lucas Uebel| Grêmio| Divulgação

Roger evita euforia no Grêmio e vê liderança com 'gostinho suave'

Equipe venceu o Coritiba por 2 a 0, em casa

Estadão Conteúdo

30 de maio de 2016 | 11h43

O técnico Roger evitou exibir euforia ao comentar o fato de que o Grêmio assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro ao vencer o Coritiba por 2 a 0, em casa, neste domingo, no fechamento da quarta rodada da competição. O treinador lembrou que o time não pode se iludir com o topo da tabela e seguir trabalhando já de olho no duelo de quinta-feira, contra o Palmeiras, às 21 horas, no Pacaembu, palco do próximo desafio da equipe gaúcha no torneio nacional.

"Compactuo dessa ideia de que o melhor é a liderança na última rodada. Mas alcançar, mesmo que no início da competição e não sofrer gols, é importante para gente. O gostinho é bastante suave à medida que entendemos que o ano seria duro e, a partir das eliminações, não saímos do propósito de continuar evoluindo", ressaltou o comandante, em entrevista coletiva.

Roger ainda destacou que a evolução da defesa do Grêmio foi fundamental para que o time chegasse ao topo do Brasileirão, no qual ainda não levou nenhum gol em quatro partidas disputadas. Depois de ser eliminado da Libertadores com uma derrota por 3 a 0 para o Rosario Central, no duelo de volta das oitavas de final, na Argentina, a equipe emplacou uma sequência de um empate (0 a 0 com o Corinthians na estreia) e três vitórias (1 a 0 contra o Flamengo, 3 a 0 sobre o Atlético-MG e agora 2 a 0 diante do Coritiba) na competição nacional.

"Parte-se do princípio que, se tem o zero no placar, é mais fácil chegar à vitória. E ainda mais que a solidez defensiva, às vezes, acontece quando você não toma gol e o seu goleiro é o mais acionado na partida. Nestes quatro jogos em que não tomamos gols, o Marcelo (Grohe) não precisou fazer defesas muito difíceis", lembrou.

O Grêmio é, por sinal, o único time que ainda não levou gols neste Brasileirão. Vice-líder com os mesmos dez pontos do seu arquirrival, o Inter sofreu apenas um em quatro partidas até aqui, mas marcou apenas quatro, contra seis bolas na rede contabilizadas pelos gremistas, que estão na frente na tabela justamente por causa do saldo superior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.