Roger garante vitória do São Paulo

Roger, Júnior Baiano e o imponderável foram os responsáveis pela vitória do São Paulo, que teve um jogador a menos durante 72 minutos de jogo, sobre o Flamengo, por 2 a 0, neste sábado, no Morumbi, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. O goleiro fez defesas impressionantes, colocando-se sempre muito bem. Mostrou, uma vez mais, que pode ser titular em outra equipe. Ele tem proposta do Santos. Júnior Baiano, quando o Flamengo dominava, complicou-se com a bola dominada e, com um chute forte, encobriu Diego e fez, contra. E o imponderável fez sua parte, na confecção da tabela, ao reservar o horrível Flamengo nesse momento em que o time não utiliza seus titulares. Roger saiu ovacionado e emocionado. "É lindo ouvir a torcida gritar meu nome. Sempre entro nos momentos difíceis e mais uma vez, dei conta." Júnior Baiano era uma tristeza só. "Fui o responsável pelo início da nossa derrota." Alegre também estava o garoto Hernanes, de 20 anos, que, no seu terceiro jogo como profissional, fez seu primeiro gol. "Nem dá para explicar essa felicidade. O importante é que mostramos futebol para ajudar o nosso time." Com a vitória, o São Paulo chega a 15 pontos e o Flamengo, ainda na zona do rebaixamento continua com nove. O time do Rio começou dominando e tudo ficou mais difícil para o São Paulo aos 18 minutos, com a expulsão de Alê, depois de um carrinho na disputa de bola com Obina. Aos seis minutos, havia levado seu primeiro cartão ao segurar Renato, que o havia driblado na lateral do campo. Marco Antonio recuou um pouco e o que se viu, então, foi o Flamengo atacando e o São Paulo tentando algum contra-ataque. Roger apareceu então, como o grande responsável pelo empate no primeiro tempo. Aos 22 minutos, colocou para escanteio um chute de Obina, desde a esquerda. Na cobrança, Júnior Baiano cabeceou com perigo. Cinco minutos depois, Júnior Baiano chutou forte e Roger colocou para escanteio. Aos 35, o atacante Roger tem boa chance, mas não alcança a bola. Sem um volante, a zaga do São Paulo ficava desprotegida e o Flamengo chutava bastante. Renato tentou aos 40 minutos e Roger rebateu uma vez mais. O São Paulo ameaçou com Souza, que sofreu falta de Júnior Baiano, na entrada da área, aos 42 minutos. Marco Antonio, que não é Rogério Ceni, chutou por cima. O Flamengo teve ainda duas chances, com Renato e Robson. Nada mudou com o início do segundo tempo. O Flamengo dominando e Roger impedindo o gol. Pegou um chute de Obina, aos dois minutos e outro aos seis. Na rebatida, Renato chutou, sem goleiro, e a zaga rebateu. Paulo Autuori resolveu fechar o meio-de-campo. Colocou Daniel Rossi na frente da zaga, sacando Roger. Hernanes entrou em lugar de Michel. Souza passou a jogar mais à frente, ao lado de Diego Tardelli. Não foi por isso que o gol saiu no minuto seguinte. Tardelli lançou Souza, que correu ao lado de Júnior Baiano. O zagueiro se atrapalhou e fez contra, encobrindo Diego. Um golaço. Celso Roth mudou. Trocou Júnior por Fellype Gabriel aos 16 minutos e cinco minutos depois, pôs Fabiano Oliveira em lugar de Jean. E lá foi o Flamengo atacar. Aos 25 minutos, da entrada da área, Renato acertou um forte chute. Roger mandou para escanteio uma vez mais. O São Paulo perdeu duas chances incríveis, aos 29 e 32 minutos. Diego Tardelli bateu de canela e a bola escapou e Souza, na esquerda, apenas com o goleiro à sua frente, passou, lateralmente, não se sabe para quem. Vélber entrou no lugar de Marco Antonio e, aos 32 minutos, manteve a média. Recebeu na esquerda e se complicou todo. Aos 45 minutos, Hernanes recebeu na esquerda. Saiu para a direita e acertou um belo chute cruzado. Matou o jogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.