Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Roger Machado comemora boa campanha do Palmeiras como visitante

Alviverde chega a quatro pontos conquistados fora de casa com vitória sobre o Atlético-PR

O Estado de S.Paulo

06 Maio 2018 | 19h30

A vitória do Palmeiras sobre o Atlético-PR na Arena da Baixada, em Curitiba, ratificou a força do time paulista quando atua como visitante. O time comandado por Roger Machado tem a melhor campanha como visitante, entre os times que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro. De quebra, pôs fim a uma invencibilidade de 17 jogos do time paranaense em seu estádio e impôs a primeira derrota do técnico Fernando Diniz no comando o Furacão.

+ TEMPO REAL - Atlético-PR 1 x 3 Palmeiras

Em Curitiba, o Palmeiras conquistou a 11ª vitória como visitante, em 14 jogos disputados, somando as três competições disputadas até o momento: Campeonato Paulista (Botafogo, Bragantino, Mirassol, Ituano, Novorizontino, Santos e Corinthians), Copa Libertadores (Junior de Barranquila, Boca Juniors e Alianza Lima) e Campeonato Brasileiro (Atlético-PR). O aproveitamento no estádio adversário é superior a 80%.

Na visão do técnico palmeirense não existem duas formas diferentes de jogar, como mandante ou visitante. Para ele, a paciência tem sido uma virtude. Com o passar do tempo e o placar sem gols, o time mandante tende a se lançar ao ataque, dando espaços para o competente ataque palmeirense.

"A gente se propõe a manter o zero no placar. Mantendo o zero no placar, como visitante, faz você ir jogando a pressão para o adversário conforme o tempo vai rolando. Você vai tendo mais espaço para jogar, organizar suas ações ofensivas. Jogando como visitante, dificilmente a torcida vai permitir que a equipe adversária jogue recuada, aí vai surgir espaço para a gente", analisa Roger.

"Jogando em casa a gente tem pressionado os adversários, tem feito bons jogos também, mas por vezes o sistema defensivo bem montado não permite que a gente consiga vencer. A estratégia jogando fora não difere muito de quando é em casa. Em casa precisamos propor o jogo, os espaços para o adversário vão aparecer, e algumas vezes podem ser bem prejudiciais", completou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.