Roger mira sucesso para ampliar contrato no Santos

Meia firmou compromisso de três meses e depende de sua produtividade para ficar mais

AE, Agência Estado

20 de maio de 2011 | 12h53

SANTOS - O Santos apresentou oficialmente o meia Roger, contratado junto ao Oeste, nesta sexta-feira, no CT Rei Pelé. O jogador vestiu a camisa 10 em sua apresentação, depois de ter assinado um contrato de apenas três meses, que poderá ser estendido de acordo com a sua produtividade no clube. E, mesmo com o curto período para mostrar serviço em um time já montado e cheio de estrelas, ele festejou a nova oportunidade que ganhou em sua carreira.

"Eu fico muito feliz de a diretoria do Santos estar apostando em mim. Esse contrato é por desempenho e conforme eu render o meu contrato vai aumentar", afirmou o novo reforço, em entrevista coletiva, na qual negou que o compromisso inicial de curto prazo tenha sido motivado por sua fama de indisciplinado fora de campo, fato que teria provocado sua transferência do Oeste. "Não foi contrato de risco e a minha permanência vai depender de mim dentro de campo. Se eu jogar bem, o contrato vai ser estendido", aposta.

Caso opte por seguir com o jogador após o final do contrato de três meses, o Santos terá prioridade na compra de 60% dos direitos econômicos de Roger, que pertencem a um grupo de investidores. A intenção de adquirir o atleta em caso de boas atuações no período foi confirmada nesta sexta pelo gerente de futebol do clube, Nei Pandolfo.

"Temos de opção de renovação até o final do ano. Ele (Roger) vai fazer essa primeira participação e temos a opção de comprar uma parte (dos direitos depois), e podemos estender os contratos. Essa é a nova política do Santos", disse o dirigente, lembrando que o contrato de Roger está enquadrado no novo modelo de gestão do clube.

"Todos os novos contratos do Santos agora são de produtividade. O contrato do Rychely (atacante recém-contratado) também é assim. É um sistema que estamos implantando para que o jogador, que já ganha um salário fixo, possa ganhar mais. É um padrão que é usado há muito tempo na Europa e que nós estamos tentando implantar aqui também", destacou Pandolfo.

Roger também afirmou nesta sexta que vê em Neymar uma inspiração para a sua carreira. O meia, aliás, usa um penteado moicano parecido com o do badalado atacante. "É um grande jogador, admiro ele muito, me espelho um pouco nele, que tem um pouco das minhas características", reforçou.

O fato de ter recebido uma chance do Santos também surpreendeu o próprio Roger, que chegou a atuar por cinco anos no Internacional, mas depois acabou perambulando por times de menor expressão. "Eu vou trabalhar para conquistar essa camisa, é um sonho. Vamos em busca disso aí dia a dia. Realmente não imaginava estar aqui no Santos. Estou muito feliz de estar aqui", disse o jogador, para depois admitir que o período que viveu antes de chegar ao Santos foi difícil.

"Sair de time grande e depois ir para time pequeno é um choque muito grande. Estive por cinco anos no Internacional e depois joguei por Mirassol, São Caetano e Oeste. Sofri bastante até chegar aqui, mas serviu de experiência para mim", analisou o meio-campista, garantindo que já está preparado para defender o Santos no Brasileirão, no qual o time estreia justamente contra o Internacional, neste sábado, às 21 horas, na Vila Belmiro.

"Sobre o campeonato, eu já estou pronto para jogar. O Santos entra como um dos favoritos e tem tudo para ser campeão", aposta.

Veja também:

som ESTADÃO ESPN - Presidente do Santos diz que negociações com Borges estão adiantadas

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCRogerreforço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.