Roger nega assédio do São Paulo e garante desejo de seguir no comando do Grêmio

O técnico Roger garantiu nesta sexta-feira, em Porto Alegre, que tem o desejo de permanecer no comando do Grêmio na temporada de 2016. Ao falar sobre o assunto, o treinador negou que tenha sido procurado pelo São Paulo, hoje dirigido pelo interino Milton Cruz após a demissão de Doriva, e deu indícios de que deverá renovar o seu contrato, previsto para acabar no final deste ano.

Estadão Conteúdo

13 de novembro de 2015 | 21h45

Ele disse, em entrevista coletiva, que não tinha interesse em tratar deste assunto com os jornalistas nesta sexta, lembrando que o time hoje vive um "momento decisivo em campo" - é o terceiro colocado do Brasileirão e ainda luta para assegurar a sua classificação à Copa Libertadores.

"Qualquer energia que a gente despenda para um outro lado pode nos tirar do foco. Com relação ao andamento da questão (renovação de contrato), estamos conversando, é um processo natural de negociação. O que posso dizer e tranquilizar é que meu desejo é de permanecer, todos nós sabemos. E não haverá nada que possa ser tão relevante que dificulta finalizar este processo", avisou o treinador.

Depois de dar entrevista, Roger comandou um treinamento no qual mais uma vez não pôde contar com a presença do atacante Bobô, que segue se recuperando de lesão muscular. O atleta realizou apenas um trabalho com bola em separado sob os cuidados do fisioterapeuta Henrique Valente.

O Grêmio, que enfrenta o Fluminense na próxima quinta-feira, às 19h30, em Porto Alegre, voltará a treinar na tarde deste sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGrêmioRoger

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.