Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Roger nega plano do Palmeiras por revanche em dérbi: 'É outro jogo'

Técnico afirma que time precisa esquecer revolta da diretoria com a final do Campeonato Paulista para não se prejudicar

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

11 Maio 2018 | 15h14

O Palmeiras quer deixar a final do Campeonato Paulista no passado. O técnico do time, Roger Machado, disse nesta sexta-feira que a derrota para o Corinthians no Allianz Parque naquela decisão, em 8 de abril, não é lembrada como motivo para uma revanche no próximo domingo, quando os times se reencontram pelo Campeonato Brasileiro. A ordem no clube é se concentrar na boa fase em vez de focar na vingança.

+ À espera da Copa, Borja pode virar desfalque em breve

+ Jô revela: 'Em alguns casos, existe interferência externa'

"O sentimento é de outro jogo, completamente à parte do que foi a decisão do Campeonato Paulista. É o início do Brasileiro, um campeonato longo, de muitos jogos", afirmou Roger em entrevista coletiva. "A gente entra com o sentimetno de conquistar três pontos. O que passou, ficou para trás. É um momento diferente, não levamos nada a não ser o desejo de vencer", afirmou.

A derrota no tempo normal por 1 a 0 seguida pelo revés nos pênaltis por 4 a 3 mexeu com o Palmeiras no mês passado. O clube iniciou uma luta nos bastidores para tentar anular o resultado da decisão, por questionar interferência externa para cancelar um pênalti anteriormente marcado em Dudu. Após não conseguir ter sucesso nas reclamações em âmbito estadual, a diretoria acionou o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

O treinador afirmou que esses problemas nos bastidores não podem interferir na preparação do time. "O jogo do campo já terminou. O Palmeiras como instituição tem o direito de procurar ser ressarcido do prejuízo. Não gostaria de desvir o foco sair dos méritos do campo do que aconteceu. Isso ficou para trás. O mais importante é se concentrar. Se desviar o foco, corremos o risco de não estarmos inteiros para o clássico", explicou.

A escalação da equipe deve ser a mesma utilizada em partidas anteriores, apenas com a saída de Felipe Melo, suspenso, para a entrada de Thiago Santos. O Palmeiras fechará a preparação com dois treinos fechados, um nesta sexta-feira e outro no sábado pela manhã. O possível time titular deve ter: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Thiago Santos, Bruno Henrique e Lucas Limas; Keno, Dudu e Borja.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.