Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Roger vê decisão do Paulista em aberto e pede 'página virada' sobre confusões

Equipes voltam a se enfrentar no próximo domingo, no Allianz Parque, e o time alviverde terá a vantagem do empate

Daniel Batista e Matheus Lara, Estadão Conteúdo

31 de março de 2018 | 20h42

O técnico Roger Machado celebrou a vantagem de 1 a 0 conquistada pelo Palmeiras no duelo ida da final do Paulistão contra o Corinthians, em Itaquera, neste sábado, mas reconheceu que a disputa pelo título ainda está em aberto. As equipes voltam a se enfrentar no próximo domingo, no Allianz Parque, e o time alviverde terá a vantagem do empate.

+ Carille promete Corinthians mais agressivo na finalíssima e lamenta confusão

+ Felipe Melo se vê injustiçado por expulsão diante do Corinthians

+ Após clássico com 12 cartões, Gabriel pede para Corinthians esfriar a cabeça

+ TEMPO REAL - Confira os lances da partida

+ Borja faz a diferença e Palmeiras fica perto do título em clássico violento

+ Expulsos na final, Clayson e Felipe Melo escrevem novo capítulo de sua rivalidade

"Nossa estratégia foi bem executada nos 90 minutos, e o fato de termos saído na frente já no início do jogo deu a ideia da dificuldade que poderíamos impor mesmo jogando fora de casa", analisou o treinador, na coletiva pós-jogo. "Depois das confusões e expulsões, nós reajustamos nossa postura para continuar marcando e apostando nos contra-ataques. Demos um passo importante. Mas a decisão ainda está aberta."

O treinador reclamou da briga generalizada no fim do primeiro tempo, que acabou com a expulsão de Felipe Melo e do corintiano Clayson. "Logo que entramos no vestiário, falei com o Felipe e ele me disse que não fez nada. Talvez a expulsão tenha sido um exagero, talvez ele esteja pagando por seu próprio retrospecto, mas essas confusões não deveriam nem acontecer. Agora, é página virada e que nada disso vá para o segundo jogo. É difícil manter a calma em muitos momentos do jogo, mas não pode acontecer de novo. É feio. Não é legal."

Para Roger, foi mérito do Corinthians o Palmeiras ter a necessidade de recuar em momentos do jogo. "Nosso adversário tem muita qualidade e às vezes consegue nos empurrar para o nosso campo, mas conseguimos em vários momentos impedir a conexão do meio campo deles com a frente. Porém, em alguns momentos, o talento dos jogadores vai levar vantagem. No segundo tempo, com um número menor de jogadores, foi uma opção jogar mais recuado."

Roger despistou sobre a possibilidade de poupar atletas no jogo da próxima terça, contra o Alianza Lima, pela Libertadores, em função da volta da final no domingo. "Mais importante, neste momento, é descansar todo mundo e reavaliar todos. A partir de amanhã, a gente começa a pensar no jogo da Libertadores, que é importante também. Agora, não dá para desconsiderar o desgaste. Eu fiz uma substituição estratégica e outras duas por desgaste."

O treinador reclamou do calendário do futebol brasileiro ao falar do cansaço de seus jogadores. "O desgaste é inevitável, esse é o nosso calendário. O dia que a gente pensar o calendário com critério, todo o restante de evolução vai vir na esteira. É impossível você manter o mesmo nível de atuação jogando com tanta densidade, em espaço muito curto. Hoje, vimos o desgaste das duas equipes. O campo estava molhado e os 45 minutos finais foram com campo maior, porque havia dois jogadores a menos. Temos que lidar com o que temos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.