Rogério abre nova crise no São Paulo

A guerra aberta entre o goleiro Rogério Ceni e a diretoria do São Paulo ganhou hoje um novo e explosivo elemento. Segundo informação de um assessor da diretoria do Cruzeiro, o goleiro teria se oferecido para jogar no clube mineiro. De acordo com esta versão, Rogério procurou o técnico cruzeirense, Paulo César Carpegiani, de quem é amigo, durante a Copa dos Campeões, para pedir emprego. "Na oportunidade, o jogador afirmou que estava de saída do São Paulo e precisava de um novo clube para trabalhar", contou. Rogério não quis comentar o assunto. Deixou o treino por uma porta lateral do Centro de Treinamento e evitou falar com os jornalistas.A negociação não deu certo por causa do Cruzeiro. O presidente do clube, Zezé Perrela, vetou a contratação. ?Não precisamos de goleiro, pois temos três dos melhores do Brasil", disse ele, referindo-se a Bosco, André e Jefferson, que serão inscritos na Mercosul amanhã. "E ainda seria um alto investimento. Agora precisamos é balancear a folha de pagamento," completou o dirigente. Perrela aproveitou para desmentir os boatos de que o São Paulo havia oferecido o goleiro. "Isso não é verdade, é notícia plantada." A diretoria do São Paulo não se manifestou sobre o assunto.O técnico Nelsinho Baptista diz que o ?Caso Rogério? não está afetando os outros jogadores. ?Os atletas estão tranqüilos?, garante o treinador. Mas não é bem assim. O zagueiro Rogério Pinheiro, por exemplo, admite que o problema traz intranqüilidade. "A pressão que vem de fora, sobre o fica ou não do Rogério (Ceni) refletiu no elenco. É uma coisa chata. Ele disse que fica, mas pouco conversa com a gente."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.