Divulgação/CBF
Divulgação/CBF

Rogério Caboclo diz que não haverá jogos no Brasil em datas Fifa a partir de 2020

Clubes que cedem jogadores para a seleção reclamam que são prejudicados por não contarem com seus atletas

Fábio Grellet e Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2019 | 18h12

A partir de 2020, nas datas reservadas pela Fifa para confrontos entre seleções, entre as quais a brasileira, não haverá a disputa de jogos de competições nacionais. Essa é uma briga antiga entre os clubes do Brasil e a seleção porque alguns times sempre são prejudicados quando os seus jogadores são convocados para defender o time nacional, pois estes atletas acabam desfalcando as suas equipes em torneios no País.

O novo presidente da CBF, Rogério Caboclo, fez esta promessa nesta terça-feira, quando tomou posse do cargo na sede da entidade, no Rio. "A partir de 2020, não haverá jogos no Brasil nessas datas", disse o novo mandatário.

Caboclo também anunciou a criação de um conselho de craques formado por 11 personalidades do futebol brasileiro: os ex-jogadores Cafu, Ricardo Rocha, Jairzinho, Careca, Zinho, Gilberto Silva e Juninho Paulista, as ex-atletas Pretinha e Michael Jackson e os técnicos Carlos Alberto Parreira e Muricy Ramalho. O conselho será um órgão "consultivo, técnico e independente" para ajudar a gerenciar o futebol brasileiro, nas palavras do novo presidente da CBF.

Entre estes nomes confirmados, o ex-atleta Juninho Paulista, campeão mundial com a seleção brasileira em 2002, também vai desempenhar o cargo de diretor de desenvolvimento do futebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.