Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Rogério Caboclo se diz inocente em acusação de assédio e promete voltar à CBF

Afastado da entidade, dirigente negou ainda qualquer intenção de demitir o técnico Tite

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2021 | 16h35

Rogério Caboclo se manifestou nesta segunda-feira pela primeira vez desde que foi afastado temporariamente da presidência da Confederação Brasileira de Futebol, no domingo. Ele disse ser inocente quanto à acusação de assédio moral e sexual, negou qualquer intenção de demitir o técnico Tite, na seleção brasileira, e afirmou que retomará suas funções na presidência da entidade que rege o futebol brasileiro.  

Em entrevista ao site ESPN.com, Caboclo disse que não houve conversas sobre um possível boicote dos jogadores à Copa América, que terá início no Brasil no domingo. A competição estava agendada inicialmente para Colômbia e Argentina, mas os dois países desistiram de sediar o evento, que acabou sendo oferecido ao Brasil pela Conmebol. 

E, diante da resposta positiva da CBF, jogadores e comissão técnica entraram em conflito com Caboclo, que negou qualquer animosidade no grupo nesta segunda. "Os jogadores nunca falaram em boicotar a Copa América, em nenhum momento isso aconteceu (reunião com os atletas). E eu nunca quis trocar o Tite, a comissão técnica. Nós estaremos todos juntos na Copa de 2022, e para vencer", declarou.

Questionado sobre a acusação de assédio moral e sexual a uma funcionária da CBF, Caboclo disse apenas que era inocente, sem se aprofundar no assunto. "Não posso falar nada sobre isso porque tudo será tratado na minha defesa. Eu sou inocente. Tenho absoluta certeza de que vou provar isso."

Ele descartou ainda qualquer possibilidade de renúncia, rejeitando a ideia de que estaria sendo pressionado pela própria família para deixar o cargo de forma definitiva. Seu mandato se encerra em 2023. "Não há dúvida nenhuma de que voltarei (à presidência da CBF). A minha família toda está me apoiando, minha mulher, meu filho, meus pais, minha ex-mulher."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.