Felipe Rau/AE - 10/9/2011
Felipe Rau/AE - 10/9/2011

Rogério Ceni condena cai-cai de Neymar, que 'chama' goleiro de chato

Em programa de TV, Ceni diz que atacante do Santos simula faltas. Neymar responde em seu site

estadão.com.br

14 de setembro de 2011 | 20h49

SÃO PAULO - Dois dois principais jogadores em atividade no Brasil, Rogério Ceni, do São Paulo, e Neymar, do Santos, resolveram tornar públicas opiniões um do outro. Tudo começou no programa Bem Amigos, da Rede Globo, da segunda-feira, que tinha o goleiro tricolor como convidado especial. Em determinado momento do programa, o tema em discussão foi a perseguição dos zagueiros ao atacante Neymar, um dos jogadores do Campeonato Brasileiro que mais falta sofrem.

Foi quando Ceni deu sua opinião: "Garanto que nem 50% das entradas são faltosas. Nem 50%. Agora que ele é o melhor jogador do Brasil, isso não se discute. Mas 50% das faltas que dão sobre ele é simulação."

Rogério foi claro: "Ninguém tem de ser protegido no futebol. Tem de aplicar a regra igual para todo mundo. Não tem talento a mais nem a menos. Não tem de ser preservado. Se fizer falta, tem de ser falta. Se não fizer, não tem de dar a falta."

Para o goleiro são-paulino, por exemplo, a jogada que causou a expulsão de Fabrício na partida do Santos com o Cruzeiro - dois jogadores do time mineiro ganharam o vermelho -, domingo, não foi nada, pura simulação do atacante. "Foi lance normal de jogo, de cartão amarelo. Ocorre que o Neymar é frágil. Quando encostam nele, ele voa. Qualquer empurrão no Neymar as pessoas tendem a achar que foi agressão. Não é bem assim."

INDIRETA

Nesta quarta-feira, de Córdoba, Neymar publicou em seu Twitter um link para o seu site, onde respondia a Rogério Ceni de forma indireta. "Rogério Ceni é chato pra..." Esta foi a maneira que um membro do estafe de Neymar encontrou para dar o troco, reproduzindo comentário do narrador Milton Leite, da Globo, sobre o goleiro em 2009. A frase circulou pela internet. 

Neymar não entrou diretamente na polêmica. O atacante santista está em Córdoba, com a seleção brasileira. Mas certamente autorizou o recado em seu site.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.