Divulgação
Divulgação

Rogério Ceni deve assumir o São Paulo no lugar de Ricardo Gomes

Ex-goleiro é o mais cotado para dirigir o time na próxima temporada

Paulo Favero e Marcius Azevedo, O Estado de S. Paulo

23 de novembro de 2016 | 14h48

O São Paulo está conversando com Rogério Ceni para ser o sucessor de Ricardo Gomes no comando da equipe. O ex-goleiro tricolor tem tudo para substituir o técnico que foi demitido na tarde desta quarta-feira, após um desempenho ruim à frente do clube no Campeonato Brasileiro.

Rogério Ceni se aposentou dos gramados no final do ano passado e decidiu que gostaria de ser técnico do São Paulo. Passou a se dedicar aos estudos, fez o curso de formação de treinadores da Federação Inglesa de Futebol (FA) e estágio com alguns técnicos considerados modernos, entre eles Jorge Sampaoli, campeão da Copa América de 2015 pelo Chile e atualmente no Sevilla, da Espanha. Ele passou algum tempo no CT da base do São Paulo, em Cotia.

Na reta final do Brasileiro, o ex-goleiro preferiu evitar os holofotes para não pressionar a diretoria do clube. Mas não adiantou e Ricardo Gomes acabou caindo. No próximo ano, o São Paulo terá eleições presidenciais e a pressão interna pela saída de Gomes também era grande. Após ponderar com o departamento de futebol, o presidente Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, entendeu que a troca no comando técnico era a melhor decisão. Apesar do enorme prestígio de Ceni com a torcida, Leco nunca tratou a possível chegada do goleiro como um trunfo para as eleições de abril. Ele até se irritou com pessoas próximas que insinuaram que a mudança poderia ajudá-lo politicamente.

De qualquer forma, a saída de Gomes e a possível chegada de Ceni podem influenciar no futuro pleito, que será disputado em abril. Vale lembrar que no dia 16 de outubro o Estado já havia anunciado que o São Paulo queria o ídolo como treinador em 2017 e que Rogério Ceni estava se preparando para assumir o clube. “Estou trabalhando para ser treinador, trabalhar no meu clube, onde estive por 25, quase 26 anos. Creio que a oportunidade um dia vai chegar”, disse o goleiro, pouco depois, quando acompanhava os treinos de Sampaoli no Sevilla.

Uma avaliação de parte da diretoria era de que não adiantaria nada segurar Gomes para 2017 e, no meio do Campeonato Paulista, na primeira sequência de derrotas, a pressão para demiti-lo aumentaria. Com isso, a ideia é trazer o novo treinador para já começar o ano e ter tempo para mostrar seu trabalho logo nas primeiras competições.

Apesar da vontade de ambos os lados, Rogério Ceni não pretende assumir o time sem receber garantia de reforços. O goleiro pediu pelo menos quatro jogadores ao presidente do São Paulo. Wellington Nem, já contratado, agrada ao ex-jogador. O ídolo gostaria de contar ainda com o atacante Nilmar e o volante Felipe Melo. A chegada de Ricardo Oliveira, que está no Santos e foi o pedido de Leco para liberar Michael Bastos, também tem aprovação de Rogério Ceni.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.