Rogério Ceni diz que gramado chileno dificultou atuação

Embalado pela vitória irrepreensível no clássico contra o Corinthians, no último domingo, o São Paulo parou no fraco Audax Italiano na estréia na Libertadores. Pior que empatar sem gols com os chilenos foi o fato de praticamente não criar chances de marcar.Ao final do jogo, a culpa foi direcionada ao gramado do Estádio San Carlos de Apoquindo. ?O gramado estava muito duro, a bola fica viva, o que dificulta nosso jogo?, comentou o goleiro Rogério Ceni. ?Criamos poucas chances de gol, mas também não fomos muito ameaçados?, ponderou.Com dificuldade para passar pela marcação, os brasileiros só ameaçaram nos escanteios, todos rechaçados pela zaga, e em duas cobranças de falta de Rogério Ceni - na segunda delas, o goleiro do Audax desviou quase no ângulo esquerdo. ?O goleiro percebeu a bola saindo antes e conseguiu defender. Foi uma pena, ela entraria?, lamentou Rogério.Se é que superstição vale para alguma coisa, na última vez em que estreou com empate na Libertadores, o clube do Morumbi foi campeão - em 2005, ficou no 3 a 3 com o The Strongest, na Bolívia.Muricy Ramalho, por exemplo, saiu satisfeito. ?O resultado não foi de todo ruim. O jogo não foi bom, muito truncado, mas com a entrada do Hugo a gente conseguiu criar chances, mas não ganhamos?, analisou o treinador são-paulino. Muricy não deu pistas se vai poupar jogadores para a partida contra o América, sábado à tarde, em São José do Rio Preto. Afinal, a delegação retorna do Chile apenas na noite desta quinta-feira. Certo mesmo são as ausências de Jadilson e Aloísio, suspensos. A diretoria ainda tentará a liberação do meia Jorge Wagner, que depende do aval da Fifa.

Agencia Estado,

15 de fevereiro de 2007 | 00h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.