Rogério Ceni é atacado por Belletti

O lateral-direito Belletti, que está com a seleção brasileira em Cali, soltou a língua para defender o presidente do São Paulo, Paulo Amaral, e criticar a atitude do goleiro Rogério Ceni, que teria inventado uma proposta do Arsenal, da Inglaterra, para receber aumento. Segundo o jogador, quem está certo nessa briga interna é o dirigente."O presidente mostrou o fax que o Arsenal enviou (dizendo que nunca houve proposta) e, por isso, está certo", afirmou hoje, após o treinamento da seleção. "Mas a gente sabe que é difícil mandar o Rogério embora, porque ele é ídolo da torcida e um grande goleiro; se eu fosse o presidente, não o dispensaria porque é excelente jogador e haveria muita pressão." A Belletti se disse inconformado com a atitude da imprensa paulista, que prestigiou a entrevista coletiva dada pelo goleiro na terça-feira, quando anunciou que iria cumprir o contrato e permanecer no clube até 2004. "Não consigo entender, depois de tudo o que aconteceu, ele marca uma coletiva e todo mundo vai lá." Rogério Ceni não tem problemas apenas com a diretoria, mas também com vários atletas do time. Suas entrevistas polêmicas e o exagerado espírito de liderança irritaram alguns companheiros, que, no entanto, não têm coragem de se manifestar para não se prejudicar. As ousadas declarações de Belletti provam que o goleiro está longe de ser unanimidade no elenco. "Ele é o líder, é quem sempre discute com a diretoria, a premiação, os bichos, é complicado... Vamos ver se com a chegada do Leonardo isso muda um pouco, se a liderança é dividida." O são-paulino, que marcou o primeiro gol com a camisa da seleção brasileira na quinta-feira, contra o Paraguai, pela Copa América, afirmou considerar normal o jogador reivindicar aumento salarial, mas não da forma como ocorreu. "Pedir aumento, tudo bem, mas não do jeito que foi, ainda mais tornando o fato público." Hoje, a diretoria do São Paulo anunciou a suspensão do goleiro por 28 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.