Rogério Ceni espera manter boa seqüência contra o Cruzeiro

Dos 82 gols anotados na carreira, goleiro marcou cinco contra o rival mineiro, adversário deste domingo

Marcius Azevedo, Jornal da Tarde

25 de setembro de 2008 | 19h03

O Cruzeiro e o goleiro Fábio costumam trazer boa sorte para Rogério Ceni, e é com esse pensamento positivo que a torcida espera a partida de domingo, que pode decidir a permanência ou não do São Paulo na luta pelo título brasileiro.  Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Dos 82 gols anotados pelo goleiro-artilheiro na carreira, cinco foram marcados justamente contra o rival deste domingo, no Morumbi. O primeiro gol, de falta, saiu quando o goleiro ainda estava no Vasco, em abril de 2003. Depois disso, Rogério Ceni balançou as redes mais quatro vezes com o rival já no Cruzeiro. Foram mais dois gols de falta e dois de pênalti. Aliás, o Cruzeiro é uma das principais vítimas do goleiro-artilheiro. O são-paulino marcou cinco vezes em sete partidas contra os mineiros. Só o Palmeiras levou mais gols: foram seis. E se não bastasse o histórico positivo do goleiro, o próprio São Paulo defende um tabu de mais de quatro anos contra o time mineiro: não é derrotado desde 23 de maio de 2004, quando levou 2 a 1 no Mineirão. Depois disso, foram oito jogos, com quatro vitórias são-paulinas e quatro empates. O último encontro aconteceu no primeiro turno, no dia 29 de julho, e acabou empatado por 1 a 1, no Mineirão. No Morumbi, palco do duelo de domingo, o duelo mais recente foi pelo Brasileiro do ano passado. Com um gol de Jorge Wagner, o São Paulo venceu por 1 a 0 no dia 21 de outubro - e nove dias depois, contra o América de Natal, conquistou o bicampeonato. Apesar dos números altamente positivos, ninguém espera facilidade no domingo. "O Cruzeiro é muito forte até pelo jeito que gostamos de jogar aqui no Morumbi", afirmou o volante Zé Luis. "A gente procura pressionar, sufocar os adversários... Eles sabem explorar o contra-ataque." A principal preocupação está na velocidade com que a equipe mineira sai do campo de defesa para o ataque, sempre com Wagner, Guilherme e Thiago Ribeiro. "Temos de tomar muito cuidado, eles são velozes", alertou Hugo, que, porém, vê um aspecto positivo. "Até pela característica, o Cruzeiro não ficará fechado atrás. Isso acontece com a maioria dos times que vem jogar no Morumbi e dificulta bastante." Para Zé Luis, o São Paulo terá de se superar para conquistar os três pontos. "Precisamos demonstrar que queremos vencer, mostrar vontade e força", prega.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.