REUTERS/Amanda Perobelli
REUTERS/Amanda Perobelli

Rogério Ceni explica mudanças no São Paulo e elogia atuação de Cássio no clássico

Técnico são-paulino admite decepção com resultado da partida: 'Éramos para termos vencido'

Paulo Favero, Estadão Conteúdo

22 de maio de 2022 | 20h42

O técnico Rogério Ceni reconheceu o talento de Cássio no duelo entre Corinthians e São Paulo, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, e elogiou o desempenho do adversário na partida deste domingo, na Neo Química Arena. "Ele foi o melhor jogador em campo. Se não fossem as boas defesas que ele fez, tínhamos saído com uma boa vitória. Então a gente fica chateado, era para termos vencido o clássico", lamentou o treinador.

Ele sabe que o São Paulo poderia ter assumido a liderança em caso de vitória, e ainda quebraria o tabu histórico de nunca ter vencido no estádio do rival em Itaquera, mas garantiu que a fotografia da tabela de classificação neste momento não diz muita coisa. "Com sete rodadas apenas não dá para fazer uma previsão", afirmou.

Ceni explicou que optou por mudar o time no segundo tempo porque imaginou que o Corinthians iria atacar mais pelos lados do campo, então para isso seria melhor abrir mão dos três zagueiros e ter uma linha de quatro jogadores defensivos, com dois laterais. Só que o Corinthians melhorou e acabou equilibrando o confronto na etapa final.

"Fizemos um primeiro tempo excepcional, poderíamos ter feito dois ou três gols e, no segundo tempo, eles tiveram mais volume. Mas a grande chance do jogo no segundo tempo foi nossa. Uma pena não termos saídos vitoriosos, acho que o São Paulo merecia", disse, citando uma cabeçada de Igor Gomes nos acréscimos que Cássio defendeu - e se machucou no lance.

Calleri foi o autor do gol do São Paulo, ainda no primeiro tempo, mas o Corinthians reagiu com Adson, na etapa final, pouco depois de entrar em campo. "Até o minuto 34 tínhamos a vitória e poderíamos ter matado o jogo no final. Então não saímos felizes com o resultado", desabafou Ceni, lamentando novamente o empate fora de casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.