Rogério Ceni faz 29 anos. Sem festa

Semblante cansado, afinal o treino foi chato. Nada de coletivo, só tática, posicionamento, essas coisas que jogadores não gostam muito. Brincadeiras dos companheiros, então, nem pensar. Um cumprimento talvez? Também não. Esse era o goleiro Rogério Ceni ao deixar o CT do São Paulo, na tarde desta terça-feira. Tudo estaria absolutamente normal, não fosse um detalhe: dia 22 de janeiro é o aniversário do maior ídolo da atual equipe são-paulina. Ele completou 29 anos. "Olha, para falar a verdade, nem presente eu ganhei até agora", confessou.Nem mesmo a expectativa de ser convocado para a seleção brasileira, nesta quarta-feira, parecia animar o goleiro são-paulino. "Sabe o que é? Quando a gente é jovem, torce para o tempo passar rápido, assim ganhamos experiência", disse Rogério. "Mas agora não. Eu torço para que demore, pois nessa hora sentimos que o fim está ficando mais próximo e não queremos que ele chegue." A preocupação do aniversariante era uma só: sair rápido para não correr o risco de levar o tradicional banho de farinha e ovos.Com relação ao time, o técnico Nelsinho Baptista confirmou nesta terça-feira que quatro jogadores da equipe de juniores foram integrados ao grupo principal. Trata-se do goleiro Márcio, do lateral-direito Gabriel, o volante Daniel e o lateral-esquerdo Diogo. Além deles, o atacante Rico, que estava no CSA, vai ficar no Morumbi por um ano, emprestado.O maior problema do treinador nesta semana será definir o substitutos de Fábio Simplício, Gustavo Nery e Júlio Santos. Os três foram expulsos no empate por 3 a 3 com o Etti Jundiaí, na estréia do Torneio Rio-São Paulo. Já a escalação de França depende de sua recuperação física.

Agencia Estado,

22 de janeiro de 2002 | 18h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.