Rubens Chiri/Divulgação
Rubens Chiri/Divulgação

Rogério Ceni já prevê Milton Cruz como substituto de Osorio

Técnico colombiano está prestes a anunciar que deixa o clube

CIRO CAMPOS, Estadão Conteúdo

05 de outubro de 2015 | 13h29

O goleiro Rogério Ceni, do São Paulo, disse nesta segunda-feira que lamenta a possibilidade de o técnico Juan Carlos Osorio deixar o cargo, porém afirmou que o clube poderia apostar em Milton Cruz como interino. O colombiano prometeu anunciar na quarta-feira a decisão final sobre se fica no cargo até o fim do ano ou se já deixa o Brasil para assumir a seleção mexicana para a disputa das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

"Osorio deu prazo até quarta, temos 48 horas para que ele se pronuncie. Mas temos profissionais como o Milton Cruz, que pode tocar esse negócio na ausência do Osorio", disse o goleiro durante entrevista coletiva para lançamento de uma linha de relógios comemorativa aos seus 25 anos de clube. Produzidos pela Technos, eles serão três modelos diferentes em referências a momentos marcantes da carreira de Ceni.

Milton Cruz trabalha no clube desde 1994 e atualmente ocupa a função de coordenador técnico. Desde 1999 ele tem passagens como treinador interino e a última delas foi entre abril e junho deste ano. Neste período, entre a saída de Muricy Ramalho e a chegada de Juan Carlos Osorio, Milton levou o São Paulo até as oitavas de final da Copa Libertadores e à semifinal do Campeonato Paulista.

Rogério Ceni admitiu que o elenco conversa bastante sobre a possibilidade de perder Osorio, que está no clube há quatro meses. "Claro que conversamos sobre isso, mas acho que não têm influência dentro de campo, assim como a parte política do São Paulo. O atleta tem um mundo muito fechado e especial, o Centro de Treinamento e o Morumbi. Nada que acontece traz uma influência direta dentro do grupo".

O goleiro torce pela permanência de Osorio ao menos até dezembro e afirmou que, mesmo em casa de saída em breve, o colombiano vai deixar um legado no clube, principalmente pelas novas rotinas de treino. "Torço para que ele continue até dezembro, mas, pelas entrevistas, vejo mesmo que o acerto com a seleção mexicana é questão de tempo", reconheceu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.