Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Ceni luta para voltar ao São Paulo e encerrar carreira na rodada final

Goleiro tenta se recuperar de uma lesão no tornozelo direito

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

30 Novembro 2015 | 08h04

Se depender da vontade do goleiro Rogério Ceni, o jogo contra o Santos, na semifinais da Copa do Brasil, dia 27 de outubro, não foi a último oficial dele como jogador do São Paulo. O experiente jogador faz tratamento em dois períodos para conseguir se recuperar de uma lesão no tornozelo direito.

No total, Ceni já desfalcou o São Paulo em cinco jogos: contra Sport, Cruzeiro, Atlético-MG, Corinthians e Figueirense. Existia uma grande expectativa para que ele retornasse ao time no sábado, contra o Figueirense, mas não conseguiu se recuperar. O goleiro chegou a ir para o Morumbi, conversou com os atletas antes de a bola rolar e deixou o estádio no intervalo.

O técnico Milton Cruz contou que tem acompanhado de perto a luta do goleiro para conseguir jogar no domingo e, quem sabe, se despedir dos gramados com uma classificação para a Libertadores.

"Se vocês vissem o que o Rogério está fazendo para jogar, vocês não acreditam. Ele fica três períodos no clube e eu gostaria muito que ele tivesse jogado contra o Figueirense, porque ele é mito. Igual ele, vai demorar uns 100 anos para aparecer um igual. Ele é uma lágrima de Cristo", disse o treinador, que conta com Ceni para domingo. "Acredito que ele possa atuar no último jogo e nos ajudar bastante", completou.

Independente da partida de domingo, Ceni já tem marcado um jogo de despedida, dia 11 de dezembro, às 20h, no estádio do Morumbi. Será um amistoso entre os campeões mundiais pelo São Paulo em 1992 e 1993 contra os de 2005. As vendas de ingressos já começaram, mas apenas para sócios-torcedores.

Outro que ainda pode defender o São Paulo antes de dizer adeus é Luis Fabiano. O atacante chegou a declarar, após o jogo com o Figueirense, que aquele seria seu último ato com a camisa tricolor, mas depois recuou e falou que iria conversar com a diretoria e comissão técnica e, se fosse necessária sua participação em Goiânia, estaria à disposição.

Tudo dependeria do jogo do Inter, que empatou com o Fluminense pouco depois do jogo com o São Paulo. Caso a equipe gaúcha tivesse vencido, continuaria colada na equipe tricolor na briga pelo G4. Com o resultado, o Inter ficou com 57 pontos, dois atrás do clube paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.