Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Rogério Ceni mantém mistério em trabalho tático no São Paulo

Técnico esconde jogo mesmo com duas semanas de treinos pela frente

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

28 de abril de 2017 | 10h46

Em clima de intertemporada, o São Paulo só volta a entrar em campo no dia 11 de maio, quando enfrenta o argentino Defensa y Justicia, no Morumbi, pela Copa Sul-Americana. Mesmo com duas semanas de trabalho pela frente, o técnico Rogério Ceni mantém a rotina com atividades parcialmente fechadas.

"A segunda parte do treinamento é tática. Tem alguns jogadores que estão fora do jogo contra o Defensa y Justicia e também temos algumas ausências para o segundo jogo (contra o Cruzeiro). É o caso do Cueva, que não pode jogar o primeiro jogo do Campeonato Brasileiro, e caso do Maicon, que não pode jogar a partida contra o Defensa y Justicia. A gente trabalha uma parte tática desde agora tentando evoluir e melhorar nos quesitos que a gente deixou a desejar nos três primeiros meses", justifica.

Ceni já tem bem definido quais são os aspectos que exigirão mais atenção do grupo. "Especialmente contra equipes que jogam em linha baixa defensiva, temos dificuldade de finalizar. A gente tenta nesses dias melhorar esse índice de chutes a gol, de chegada pelas linhas laterais contra equipes que têm marcação para trás do meio-campo. Temos de tentar encontrar alternativas para melhorar o poderio ofensivo da equipe nesse sentido, tentar sofrer menos contra-ataques e, para isso, estamos encontrando novas alternativas para trabalhar. Se vai acontecer ou não, vamos descobrir a partir de duas semanas."

Para o treinador, o período sem jogos oficiais em razão das eliminações no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil é mais do que o necessário para corrigir as falhas de sua equipe. "Não são necessárias duas semanas. Como a gente não alcançou nosso objetvo de chegar à final do Campeonato Paulista, nós ganhamos dias a mais para trabalhar. Precisamos trabalhar fórmulas diferentes de jogo, nós temos de tentar mudar para termos opções para o Campeonato Brasileiro e para a Copa Sul-Americana". A possibilidade de repetir o esquema tático com três zagueiros, entretanto, está descartada.

O São Paulo se reapresentou na tarde de quarta-feira e dedicou dois dias aos testes físicos. O goleiro Sidão, que não atua desde o início de março devido a uma lombalgia decorrente de uma hérnia de disco, voltou a treinar com os companheiros e já pode disputar posição com Renan Ribeiro e Denis.

"Alguns jogadores, principalmente aqueles que sofreram lesões, terminaram em uma condição física mais baixa do que a média do grupo, que conseguiu se manter bem fisicamente durante toda a temporada. Vamos tentar fazer trabalhos individualizados para aqueles que precisam de força muscular e que precisam de mais resistência, para aqueles que ficaram machucados e acabaram aumentando um pouco peso", explica Ceni.

 

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCRogério CeniFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.