Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Rogério Ceni vibra com Pratto: 'Se chegar, é um reforço do mais alto nível'

Técnico do São Paulo aguarda a chegada do atacante argentino

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

10 Fevereiro 2017 | 07h03

Rogério Ceni afirmou não saber se a chegada do atacante Lucas Pratto estava confirmada pela diretoria, mas o treinador do São Paulo revelou que o atleta será muito bem-vindo para seu esquema tático e que, caso chegue, poderá ajudar bastante a equipe na temporada.

"Eu não tenho conhecimento exato da negociação, mas me falaram que ele não jogou contra o Joinville. Se chegar, é um reforço do mais alto nível que a gente poderia trazer, pois é um camisa 9 de fato, de área, uma contratação bem interessante. Se isso se concretizar, ficarei muito feliz, como torcedor e como treinador", avisou.

Apesar do reforço que deve ser anunciado nesta sexta-feira e apresentado no domingo, diante da torcida no Morumbi, antes do duelo contra a Ponte Preta, pelo Campeonato Paulista, Ceni vê espaço para outros nomes em seu grupo. "Precisamos de mais algumas peças ainda", comentou.

Uma delas é Jucilei, que fará exames médicos nesta sexta-feira e deve ser anunciado também. Ele é outro jogador que Ceni havia pedido para a diretoria. O atleta, que fez fama no Corinthians, joga como volante, mas também pode ajudar o time em outras posições, como na zaga ou de lateral-direito.

Para Ceni, o importante é ter um elenco forte, e não apenas um time. "Quando separei os 23 jogadores de linha e mais os goleiros para a pré-temporada, eu contava com todos eles para girar mesmo, especialmente neste mês de fevereiro. Eu vejo que temos 22 atletas, eu não jogo com 11 apenas. Eu faço avaliações e diagnósticos para ver se eles têm condições de jogo."

O treinador cita como exemplo a ausência de Sidão contra o Moto Club. O jogador confessou sentir um incômodo muscular e foi poupado. "Ele teria condições de jogo, mas achei mais justo colocar o Denis, que estava inteiro, para jogar. Com o Chávez foi a mesma coisa, pois ele já vinha com um desconforto. Contra o Audax, eu perguntei para o Wellington Nem se ele estava bem, me disse que sim, mas sentiu a lesão."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.