Rogério Ceni volta a ser destaque

Pelo segundo clássico consecutivo, Rogério Ceni brilhou. Contra o Palmeiras, na vitória por 3 a 0, o goleiro roubou a cena com o golaço de falta em cima de Sérgio. E neste domingo ele se destacou, ao defender o pênalti de Coelho - nem deu rebote -, aos 42 minutos do segundo tempo. A torcida foi ao delírio: "É o melhor goleiro do Brasil: Rogério Ceni!" "Saí de campo com a sensação de dever cumprido. Foi praticamente um gol àquela altura do jogo. Não participei muito durante a partida, mas dei a minha parcela de contribuição quando o São Paulo precisou", afirmou. "Vou poder ter uma noite tranqüila. Só não conseguirei deitar a cabeça no travesseiro por ter de cuidar das minhas filhas", brincou o goleiro, referindo-se aos seus bebês de dois meses.Segundo ele, a "intuição" ajudou a defender a cobrança de Coelho. "Não senti ele nervoso, não. Estava muito compenetrado. Sei da qualidade que ele tem para bater na bola, mas em um movimento que ele fez tive a intuição que ele bateria naquele canto. Só tive a sorte de acertar", explicou o goleiro, que só realizou esta defesa na partida. Em outro momento, teve boa atitude ao impedir um melhor chute de Tevez.Apesar da humildade ao falar da defesa que livrou o São Paulo de um tropeço diante do Corinthians, Rogério reconhece que mais um time está fora da concorrência pelo título. "Os dois clássicos serviram para tirar dois concorrentes diretos da briga. Com 12 pontos de diferença e restando nove rodadas, será muito complicado para o Corinthians alcançar o São Paulo na classificação. Mais difícil ainda para o Palmeiras, que está mais atrás", ressaltou Ceni. O time do Palestra Itália, que venceu o Ituano, por 4 a 1, está 14 pontos atrás do líder.Rogério Ceni frisou mais uma vez que o São Paulo está longe de ter um time imbatível. "Acredito que a confiança seja o grande segredo desta equipe. Não é um elenco fora de série, mas todos estão demonstrando muita vontade. Olha o Luizão, por exemplo. Correu e marcou o campo todo. Ainda estamos evoluindo", avisou o camisa 1.Libertadores - Sobre a estréia na Copa Libertadores da América, quinta-feira, contra o The Strongest, em La Paz, o goleiro garantiu que o São Paulo tem de ter muita cautela para não sofrer com a altitude como aconteceu com o Santos, derrotado há duas semanas pelo Bolivar, por 4 a 3. "Temos uma equipe altamente competitiva, mas não favorita à conquista da Libertadores. O nosso elenco é reduzido", cobrou o goleiro.

Agencia Estado,

27 de fevereiro de 2005 | 21h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.