Rogério comemora vitória e vê qualidades no São Paulo

Em 14 jogos no ano, o São Paulo venceu sete, empatou seis e perdeu apenas um (3 a 2 para o Marília

Giuliano Villa Nova, O Estado de S. Paulo

06 de março de 2008 | 16h34

O futebol não convence e as falhas de criação e marcação são visíveis. Por isso, é na base da raça que o São Paulo vem conquistando resultados positivos, tanto no Campeonato Paulista quanto na Libertadores. E o goleiro Rogério Ceni consegue enxergar qualidades no time, ainda que o nível do futebol esteja longe do esperado pela exigente torcida. Veja também: São Paulo aposta na vontade e no exemplo para se acertar Muricy Ramalho reforça voto de confiança em Adriano Adriano comemora gols e agradece o São Paulo Libertadores: Adriano desencanta e São Paulo vence o Audax Classificação Calendário / Resultados  Bate-pronto - Ave, Caesar Hadrianus! Ouça os gols da vitória do São Paulo - transmissão Rádio Eldorado/ESPN 700 AM "Tivemos calma e cabeça no lugar, especialmente nos dois jogos pela Libertadores (1 a 1 com o Nacional, em Medellín, e 2 a 1 no Audax Italiano, no Morumbi), quando saímos atrás no placar e conseguimos nos recuperar", observa o capitão são-paulino. Em 14 jogos no ano, o São Paulo venceu sete, empatou seis e perdeu apenas um (3 a 2 para o Marília, no interior). Mas o camisa 1 concorda que a equipe tem de jogar melhor, se quiser brigar por novas conquistas. "Precisamos evoluir, para chegar num nível que dê confiança não apenas para os torcedores, mas para nós mesmos", opina Rogério. "Até agora, não tivemos nenhuma vitória tranqüila, em nenhum jogo fomos muito superiores ao nosso adversário. Podemos render mais", resume o goleiro. O técnico Muricy Ramalho é menos exigente e acredita que o conjunto do time tende a crescer, como ocorreu em 2007. "Nos últimos anos, o São Paulo sempre tem se apoiado na força do seu coletivo", observa Muricy. "O que quero dos jogadores é que eles se entreguem até o fim, e isso estão fazendo", analisa o treinador. O que anima Muricy, especialmente para a seqüência da Libertadores, é a possibilidade de jogadores como o centroavante Adriano, autor dos dois gols contra o Audax Italiano, e o meia-atacante Éder Luis se sentirem mais à vontade. "O Adriano já começou a fazer o que está acostumado, gols", diz. "E o Éder Luis tem todas as condições de fazer a função que o Leandro exercia, pois tem habilidade e muito vigor físico", comenta. O polivalente Richarlyson, que vem atuando como lateral-esquerdo, cumpre o segundo jogo de suspensão no Paulista pela expulsão contra o Noroeste e desfalca o São Paulo no jogo contra a Portuguesa, neste sábado, no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. Júnior deve ser o seu substituto. Outro desfalque do time será Éder Luis, inscrito apenas na Libertadores. Já o atacante Dagoberto, que está quase recuperado de uma lesão muscular, pode ficar à disposição do técnico Muricy Ramalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.