Rogério completa 500 jogos no São Paulo

Rogério Ceni gosta de polêmica, nãoé muito simpático em determinadas ocasiões e chega a passar arde arrogância em algumas entrevistas. Mas uma questão éindiscutível: tem talento de sobra e defende o São Paulo demaneira honrosa há 499 jogos. O goleiro atinge, neste domingo,às 18 horas, contra a Ponte Preta, a expressiva marca de 500partidas com a camisa tricolor e espera, como presente pela datafestiva, a vaga para a Taça Libertadores de 2004, que tantobusca desde 1997, quando assumiu a condição de titular. Paraisso, a equipe precisará vencer em Campinas. Aos 30 anos e há 13 no Morumbi, fez história no clube eno futebol brasileiro ao ter-se transformado no primeiro goleirodo País a cobrar faltas, por meio das quais marcou 25 gols - fezoutros 3 em cobranças de pênalti e mais 3 em decisões porpênalti. E o lado são-paulino, aliado à dedicação, ajudou-obastante a tornar-se querido pelo torcedor. Poucos foram os momentos ruins em sua carreira no clube.Um deles, talvez o pior, foi provocado por um suposto interessedo Arsenal, da Inglaterra, em sua contratação, em julho de 2001.Rogério queria que o São Paulo fizesse negócio ou lhe dessereajuste salarial, fato que provocou mal-estar com a diretoria,à época presidida por Paulo Amaral. O dirigente rejeitou o pedido do atleta, alegando não terrecebido nenhuma proposta. Os dois bateram boca via imprensa e ogoleiro foi afastado por cerca de um mês. Seus anos no clube só não foram mais marcantes pelafalta de títulos expressivos, como ele próprio reconhece. Comotitular, faturou uma Copa Conmebol (1994), dois Paulistas (98 e2000) e um Torneio Rio-São Paulo (2001). "Se conquistarmos aLibertadores no ano que vem, vou fazer parte da história doclube por esse título, que é importante. Se não, entrarei nahistória pelos serviços prestados." O título da Libertadores em 2004 seria fundamentaltambém para o futuro. Seu contrato termina em julho e umpassaporte para o Mundial Interclubes, em Tóquio, poderiafacilitar uma renovação. "Por mim, encerraria a carreira no SãoPaulo, mas ainda é cedo para falar, haverá eleições em 2004...Se ganharmos a Libertadores, a diretoria vai querer manter ogrupo." Muita gente admira o jogador no clube, mas há um grupoque acha que seu ciclo no São Paulo deve terminar no ano quevem. Para assegurar a vaga na competição continental já nestedomingo, a equipe terá de jogar bem mais do que na quarta-feira,quando foi derrotada por 3 a 1 pelo River Plate, pelaSul-Americana, em Buenos Aires. Irritado com a atuação de seuscomandados, o técnico Roberto Rojas anunciou modificações naescalação. Adriano e Carlos Alberto dão lugar a Marcelo Gallo eMarco Antônio. E Jean, suspenso, será substituído por Edcarlos.O único atacante será Diego Tardelli, recuperado de dores nascostas. Luís Fabiano cumpre mais uma partida de suspensão. Emcrise, a Ponte precisa dos 3 pontos para se afastar da zona derebaixamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.