Rogério: decisão deve sair nesta 3ª

O São Paulo teve hoje um dia de constrastes. Na reapresentação do elenco, após o vice-campeonato da Copa dos Campeões, enquanto o meia Leonardo, de 32 anos, agia como criança em sua volta ao clube, sorridente e cumprimentando a todos, o goleiro Rogério Ceni, com semblante fechado e calado, deixava claro, estar de saída. Após dez anos defendendo a equipe do Morumbi, o goleiro anuncia amanhã seu destino. Rogério vai divulgar sua decisão ao meio-dia, no Buffet França, na Avenida Angélica, região do Higienópolis. O Cruzeiro pode ser seu novo clube. O time mineiro, com parceria com a HTMF, manifestou interesse no futebol do jogador. Antes, porém, deve fazer seu último treino no CT da Barra Funda. Hoje, era visível o desânimo do goleiro. Treinou distante dos companheiros, sempre com cara de "poucos amigos", cabeça baixa e sem dizer uma palavra. Ao fim dos exercícios, ouviu do técnico Nelsinho Baptista, o quanto era importante para o elenco. "Disse a ele (Rogério) que conto com seu trabalho, sua experiencia e técnica", revelou o treinador, que adiantou não poder opinar nas partes financeiras e contratuais. O goleiro pede um aumento de salário para continuar no clube. Foi o último deixar o campo, pensativo, um pouco distante e aparentando incomodado. "Amanhã eu converso com vocês", limitou-se a falar, para a imprensa, após o treino. Saiu pela lateral do campo, com passadas longas, sem olhar opara os lados. Após o banho, teve tempo, ainda, para ler as últimas notícias do clube. Além de Nelsinho, o preparador-físico José Roberto Portela mostrava-se confiante com um possível final feliz. "O Rogério vai resolver este problema e ficar. Ele gosta muito do São Paulo", comentou. Até o possível novo goleiro, Roger, estava em prol do companheiro. "Estou na torcida por um final feliz. Ele é meu amigo pessoal e sempre me ajudou. Sempre estarei a seu lado." Rindo à toa - O meia Leonardo estava radiante em seu primeiro contato com os novos companheiros. "Estou muito feliz, são 11 anos de relação com o clube. Meu lugar é aqui", disse, com sorriso largo, sem conter a empolgação. "Não vejo a hora de jogar e passar aos jovens a minha experiência. Afinal, agora sou o vovôzinho do time.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.