José Patrício/AE
José Patrício/AE

Rogério se revolta com goleada sofrida pelo São Paulo

Capitão são-paulino diz que perder tomando quatro gols é uma vergonha e critica arbitragem

MARCIUS AZEVEDO, Agência Estado

21 de novembro de 2010 | 21h06

A derrota por 4 a 1 para o Fluminense deixou os torcedores são-paulinos felizes, mas irritou o goleiro Rogério Ceni. O capitão até tentou evitar os microfones na saída do gramado da Arena Barueri, mas depois parou e explodiu ao ser perguntado sobre sua avaliação do resultado. "O jogo foi uma m... Tomar de quatro é uma vergonha", disse o goleiro, que falhou no terceiro gol do time carioca, marcado pelo centroavante Fred.

Veja também:

link Fluminense vence o São Paulo e é líder do Brasileirão

"O torcedor pode torcer para quem quiser, mas nós temos de fazer o nosso papel. A equipe reagiu, empatou o jogo, mas depois de perder dois jogadores fica difícil", afirmou Rogério Ceni. Ele criticou o desempenho do árbitro Heber Roberto Lopes, principalmente por causa do cartão vermelho mostrado ao zagueiro Xandão.

O técnico Paulo César Carpegiani concordou com Rogério Ceni ao avaliar o desempenho ruim da equipe, mas defendeu o grupo ao ser questionado se alguns jogadores estavam de má vontade porque se ganhassem do Fluminense ajudariam o Corinthians. "Confio plenamente nos meus jogadores. Não tenho de explicar nada em função de adversário. Faltou aquela motivação íntima de cada jogador. Com relação ao futuro, não vai mudar minha avaliação, não vai pesar, mas sabemos de temos que fazer uma avaliação com precisão da atitude de cada um".

O superintendente de futebol Marco Aurélio Cunha se adiantou e defendeu os jogadores, mas foi irônico ao comentar o resultado. "Estou feliz porque perdemos limpamente", disse o dirigente, que fez questão de abraçar o técnico Muricy Ramalho após o jogo.

"Fico feliz de ver um amigo vencer". A culpa, segundo ele, foi do árbitro por ter reduzido o São Paulo a nove jogadores no segundo tempo. "Ele teve um compromisso com o resultado".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.