Rojas tem dúvidas para escalar São Paulo

Roberto Rojas define nesta terça-feira o time do São Paulo que enfrentará o Coritiba quarta-feira, no Paraná, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 21h40. A dúvida é entre Rico ou Alexandre. Ou entre jogar com quatro ou cinco volantes. No treino desta segunda-feira, foi utilizada a formação com dois atacantes. O time teria quatro zagueiros (Leonardo, Jean, Júlio Santos e Fabiano), quatro volantes (Adriano, Fábio Simplício, Carlos Alberto e Gustavo Nery) e dois atacantes (Rico ao lado de Luís Fabiano).Essa é uma formação muito parecida com a do Boca Juniors contra o Santos. Os dois atacantes, que são rápidos, se deslocariam bastante à espera da bola. Ela chegaria com a projeção dos volantes Fábio Simplício e Gustavo Nery. Uma diferença é que os laterais do São Paulo têm uma chegada ao ataque maior que os laterais do Boca.A outra opção é ainda mais conservadora. Alexandre entraria no lugar de Gustavo Nery, que passaria a jogar mais à frente, com a saída de Rico. Caberia a Nery ser a ligação do time com Luís Fabiano.Rojas fica um pouco irritado quando falam que seu time joga feio. "E quem joga bonito, hoje, no Brasil? O Cruzeiro? Eles também marcam muito, não se descuidam de jeito nenhum", defende-se o treinador, esquecendo-se do Santos. Talvez o São Caetano seja o parâmetro mais apropriado de comparação para o São Paulo. Basta ver como foi ruim o jogo de sábado.Rojas prefere falar em eficiência. Desde que assumiu, foram 12 jogos, com uma derrota para o Santos, seis vitórias e cinco empates. O time está na briga pela liderança. E agora, quando perde Kaká e Ricardinho, tem uma série difícil pela frente. São quatro jogos fora e três no Morumbi. Depois do Coritiba, será o Fluminense, no Rio; Atlético-PR, no Morumbi; Vitória, em Salvador; Ponte Preta, em casa; Flamengo, no Rio; e Inter, em casa, encerrando o primeiro turno.Para manter a média atual de pontos, o São Paulo precisa ganhar 13 dos 21 pontos que disputará. Isso significa vencer as três partidas em casa e empatar as quatro fora. É difícil, mas não resta outra opção a Rojas, que sonha em terminar o primeiro turno entre os quatro primeiros para depois, no segundo turno, lutar pelo título.É uma tática que pode ser prejudicada pela situação econômica dos clubes. Rojas, que não confia totalmente em Lugano, precisa colocá-lo no banco porque Régis foi mandado embora. Reinaldo saiu e ninguém foi contratado.Aspirantes> - A solução tem sido a busca de jogadores nos aspirantes. Edcarlos, que está na Seleção Sub-18, é o zagueiro chamado para o lugar de Régis. E Diego, que Cilinho chama de "novo Luís Fabiano", foi incorporado nesta segunda-feira aos profissionais. Tem 18 anos, 1,78 m e pesa 71 quilos. O lateral Fábio Santos, de 17 anos, também está no time de cima. O que prepara a saída de Jorginho Paulista, Gustavo Nery ou Fabiano - este com contrato até o fim do ano.

Agencia Estado,

07 de julho de 2003 | 19h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.